sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Mother Superior - The Heavy Soul Experience Of Mother Superior

Banda: Mother Superior
Disco: The Heavy Soul Experience Of Mother Superior
Ano: 1996
Gênero: Blues Rock, Hard Rock
Faixas:
1. Can You Hear Me? (5:10)
2. Way Tin Onya (3:18)
3. Sneakin' (3:26)
4. Guess I'm A Fool Again (4:58)
5. Valentine's Day (2:10)
6. The Wiggle (4:31)
7. Right On Time (5:28)
8. Part Time Loser (4:04)
9. You Don't Miss Your Water (3:44)
10. Fool's Prayer (8:46)
11. An Extra Slice Of Heavy Soul (2:47)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Jim Wilson: Guitar, Keyboards, Vocals
Marcus Blake: Bass Guitar, Background Vocals
Jason Mackenroth: Drums, Percussion, Background Vocals

Biografia:
Tocando uma combinação de blues, soul e rock americano tradicional, a Mother Superior tornou-se uma banda popular no circuito das casas noturnas na área de Los Angeles, Califórnia, EUA, no final dos anos 90.
O guitarrista Jim Wilson, o baixista Marcus Blake e o baterista Jason Mackenroth lançaram vários CDs independentes durante esse período, incluindo "The Heavy Soul Experience Of Mother Superior", de 1996, "Kaleidoscope", de 1997, e "Deep", de 1998, este produzido por Henry Rollins, ícone do rock alternativo, que, na sequência, convidou a Mother Superior para juntar-se a ele numa nova encarnação da Rollins Band. Depois de atuar como banda de apoio de Rollins em "Get Some Go Again", de 2000, a Mother Superior assinou com a Triple X e estreou na nova gravadora com um disco homônimo, em 2001. A banda logo encontrou outro benfeitor, Wayne Kramer, o lendário ex-guitarrista da MC5, que produziu o álbum "Sin", lançado em 2002 pela gravadora MuscleTone. Kramer voltou a produzir o disco "13 Violets", de 2004, emitido pela própria gravadora do grupo, Top Beat. "Moanin'" e "Three Headed Dog" chegaram em 2005 e 2007, respectivamente, seguidos, em 2008, de uma compilação, em CD e LP, de novas canções, raras performances ao vivo e versões inéditas de clássicos da banda, chamada "Grande" (Steve Huey, AllMusic; tradução livre do inglês).

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Kilburn And The High-Roads (Featuring Ian Dury) - Wotabunch!

Banda: Kilburn And The High-Roads (Featuring Ian Dury)
Disco: Wotabunch!
Ano: 1978
Gênero: Pub Rock, British Punk, New Wave
Faixas:
1. The Call Up (2:32)
2. Crippled With Nerves (3:11)
3. Patience (So What?) (2:05)
4. You're More Than Fair (3:09)
5. Upminster Kid (3:36)
6. Billy Bentley (3:43)
7. Huffety Puff (2:17)
8. Rough Kids (3:20)
9. The Roadette Song (3:12)
10. The Badger And The Rabbit (2:42)
11. The Mumble Rumble & The Cocktail Rock (3:50)
12. Pam's Moods (2:59)
Músicas de autoria de Ian Dury e Russell Hardy, exceto "Billy Bentley", composta por Ian Dury e Charlie Hart.
Créditos:
Ian Dury: Lead Vocals
Russell Hardy: Piano
Keith Lucas: Guitar
Charlie Sinclair: Bass
Davey Payne: Saxophones
Louis Larose: Drums

Biografia:


A biografia de Ian Dury já foi postada aqui, juntamente com o disco "Handsome [Bonus Tracks]", de 1999.

The Long Ryders - Metallic B.O.

Banda: The Long Ryders
Disco: Metallic B.O.
Ano: 1989
Gênero: Alternative Rock, Roots Rock, Country Rock, Paisley Underground
Faixas:
1. You're Gonna Miss Me [Recorded from the audience at Scorgies, Rochester, New York, 11/14/84] (Roky Erickson) 3:38
2. Route 66 [Recorded at Club Lingerie, Hollywood, CA, 6/1/85] (Chuck Berry) 4:34
3. Brand New Heartache [Recorded from the audience at the Kit Kat Club, Hollywood, CA, 1983] (Felice & Boudleaux Bryant) 3:13
4. Prisoners Of Rock 'N' Roll [Recorded by 92.3 at the Bottom Line, New York City, for FM broadcast, 5/7/87] (Neil Young) 5:10
5. Dirty Old Town [Recorded from the audience at Raji's, Hollywood, CA, 8/20/86] (Ewan McColl) 4:13
6. Billy Jean [Recorded live at Chipping Norton Studios, Oxfordshire, England, 5/85] (Michael Jackson) 5:44
7. Circle 'Round The Sun [Recorded at McCabes Guitar Shop, Santa Monica, CA, 5/18/84] (Traditional) 5:32
8. Six Days On The Road [Recorded at Sheffeld University, Sheffeld, England, 10/8/85] (Earl Green, Carl Montgomery) 5:00
9. Anarchy In The U.K. [Recorded from the audience at Gallery, Manchester, England, 4/21/85] (Sex Pistols) 6:00
10. Masters Of War [Recorded by VPRO-M at the T-Beest, Goes, Holland, for FM broadcast, 4/6/85] (Bob Dylan) 4:46
11. Blues Theme [Studio running tape recorded live at A&M Studios, Hollywood, CA, 11/23/86] (Davey Allen & The Arrows) 6:45
12. P.I.L. Theme [Recorded at the Hammersmith Palais, London, England, 10/31/85] (Public Image Limited) 8:05
13. I Shall Be Released [Recorded by Spanish National Radio, Barcelona, Spain, for FM and TV broadcast, 9/21/86] (Bob Dylan) 7:30
14. And She Rides [1983 Demo] (Sid Griffin, Greg Sowders) 4:36
Créditos:
Sid Griffin: Guitar, Harmonica, Vocals
Stephen McCarthy: Guitar, Banjo, Mandolin, Vocals
Greg Sowders: Drums, Percussion, Vocals ("Billy Jean")
Tom Stevens: Bass, Double Bass, Guitar, Vocals
Músicos adicionais:
Des Brewer: Bass ("Brand New Heartache")
Dave Pearlman: Pedal Steel ("Brand New Heartache")
Will Glenn: Violin & Keyboards ("Dirty Old Town")

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Native Sons (Deluxe Reissue)", de 2011.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

The See See - Late Morning Light

Banda: The See See
Disco: Late Morning Light
Ano: 2010
Gênero: Alternative Rock, Garage Rock Revival, Neo-Psychedelia
Faixas:
1. Mary Soul (Richard Olson) 4:20
2. Tomorrow Come Today (Richard Olson, Keith Wood) 2:48
3. Deceiver Retriever (Richard Olson) 2:24
4. Little Tease (Richard Olson) 3:47
5. Keep Your Head (Richard Olson, The See See) 3:27
6. It's True (Richard Olson, Kevin Peyok, Pete Greenwood) 3:25
7. Powers Of Ten (Bill Doss, Richard Olson, Pete Greenwood) 3:07
8. Half A Man And A Horse's Head (Richard Olson) 3:03
9. And I Wonder (Richard Olson) 2:11
10. Late Morning Light (Richard Olson) 4:38
11. Clap Your Hands And Shake A Chain (Richard Olson, The See See) 3:08
12. That's My Sign (Richard Olson) 2:26
Créditos:
Richard Olson: Guitar, Vocals, Harp
Pete Greenwood: Guitar, Keyboard, Banjo
Phil Anderson: Keyboard, Vocals
Kevin Peyok: Bass Guitar, Vocals, Guitar
Paulie Cobra, Ben Swank: Drums, Percussion
Keith Wood: Additional Backing Vocals, Guitar
David Rothon, Sean Read: Additional Keyboard
Lucy Evans: Additional Sleighbell
Bill Doss, Georgi Peyok, Liz Aspden: Additional Backing Vocals

Biografia:
Integrada por músicos vindos dos quatro cantos do mundo, mas estabelecida em Londres, a See See é uma banda psicodélica revivalista decidida a reaquecer a atraente e melodiosa sonoridade sessentista no novo milênio. 
Richard Olson, que já tocara na Eighteenth Day Of May, formou a See See com Paulie Cobra, Kevin Peyok, Sam Ferman e Phil Anderson. A banda promoveu-se à moda antiga: com uma série de singles em vinil. Os discos, juntamente com seus concertos, deram-lhe crédito para fazer a abertura de shows de grupos análogos, como Brian Jonestown Massacre e Racounteurs, e logo veio à tona o seu primeiro LP, "Late Morning Light", de 2010. Lançado em CD, em 2011, o disco acumulou boas resenhas na imprensa britânica. Em 2012, o segundo álbum, "Fountayne Mountain", também prosperou, e, em 2014, a banda realizou suas primeiras incursões em território americano, quando a Sundazed Records lançou uma coletânea dos seus dois discos. Um álbum novinho em folha encontra-se programado para sair em 2014 (Stephen Thomas Erlewine, AllMusic; tradução livre do inglês).

sábado, 14 de outubro de 2017

The Deadly Snakes - I'm Not Your Soldier Anymore

Banda: The Deadly Snakes
Disco: I'm Not Your Soldier Anymore
Ano: 2001
Gênero: Alternative Rock, Garage Rock, Punk Rock
Faixas:
1. Graveyard Shake (3:33)
2. West Texas Sound (2:29)
3. Twice As Dead (3:12)
4. Pirate Cowboy (3:26)
5. Early Bird (2:35)
6. I Can Take It (2:30)
7. I Don't Mind (3:08)
8. Talkin' Down (2:30)
9. Make A Fool Out Of Me (3:23)
10. Rock Candy (3:00)
11. Trigger (4:52)
12. You're All Alone (2:41)
13. Diamond Ring (4:25)
14. Say Hello (4:08)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Andre St. Clair, Greg Cartwright: Guitar, Vocals
Max Danger: Piano, Organ, Vocals, Percussion
Yuri Didrichsons: Bass, Guitar
Andrew Gunn: Drums
Matt "Dog" Carlson: Trumpet, Harmonica, Bass, Guitar, Vocals
Jeremi Madsen: Saxophone
Nathan Salvation: Trombone
Dallas Good: Extra Guitar (faixas 2, 14)
Susy Hendrix: Saxophone (faixa 12)
Daisy McCabe-Lokos: Violin (faixa 14)

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Love Undone", de 1999.

UHF - Lottery

Banda: UHF
Disco: Lottery
Ano: 2001
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock
Faixas:
1. Enter (0:23)
2. Best Friends (2:51)
3. Theme (4:07)
4. Lottery (2:57)
5. Half Of The Day (3:54)
6. Lucky Linda (3:09)
7. It's Wrong (3:02)
8. Camera (4:06)
9. Reunion Day (3:09)
10. School Days (4:36)
11. The Silver Lining (1:12)
12. Superstar (2:12)
13. Fancy Street (2:23)
14. Whatever The Weather (3:05)
15. Union Station (1:21)
16. Socks/Exit (5:36)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Jeremy Left: Vocals, Keys
Jeff Nelson: Bass, Guitar
Matt Johnson: Drums, Vocals
Jordan Left: Guitar, Bass, Keys, Vocals

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "pieces", de 1999.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Tala - Discografia básica

Banda: Tala
Gênero: Jam Bands


Disco: Tala
Ano: 2002
Faixas:
1. Yukiko (5:13)
2. Cycles (6:47)
3. Indigo (5:41)
4. 7-11 (5:47)
5. Weirder Than Me (7:53)
6. 2:22 (2:23)
7. Nexus (6:30)
8. Fat Gat (8:59)
9. Normal Format (5:12)
10. Here Again (Jay's Lounge) (9:19)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Steve Venkatarangam: Electric Guitar, Vocals, Sitar
Adrian Aitken: Drum Kit, Percussions
Jason Blanchard: Vocals, Electric & Acoustic Guitars
Marc Lajoie: Electric & Acoustic Basses

Disco: Bleeps, Squeaks + Drones
Ano: 2006
Faixas:
1. Djello (7:27)
2. Beside Bombay (4:39)
3. Superhappylucky (4:01)
4. Flute Flies (5:29)
5. Off The Grid (1:58)
6. Stuck On My Back (6:27)
7. Lab Rat (3:08)
8. Flute Flies [Reprise] (1:10)
9. Bubble (9:57)
10. Untitled (8:37)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Steve Venkatarangam: Guitar, Vocals, Sitar, Flute, Synths
Adrian Aitken: Drum, Tambourine
Jon Desjardins: Bass


Biografia:
Apontam-se várias características desse grupo mutante mas sempre sedutor. Baixo pulsante e funqueiro, engenhosas batidas dançantes, melodias atrativas, letras peculiares, guitarra solo viajante e cítara incendiária. A banda expande os horizontes da sensibilidade pop. O trio usa uma combinação de organização e caos para criar uma variedade de atmosferas raramente vista numa banda ao vivo. "Fazer um som dançante e ainda torná-lo atraente é algo que nos propomos a realizar em todas as apresentações", diz Venkatarangam. 
Turnês extensas, com o público encorajado a trocar entre si gravações dos shows, permitiu à Tala ficar longe do convencionalismo enquanto mantinha um fã-clube leal e cada vez maior. Viajando de um extremo a outro da América do Norte, a banda tem realizado mais de uma centena de shows por ano. "Nós definitivamente somos uma banda de turnês, e tocar ao vivo, interagindo com a multidão, é o que nos mantêm de pé", afirma Aitken. A manutenção da agenda de turnês despertou a atenção da mídia, com bastante intensidade, incluindo um artigo publicado na edição de julho de 2003 da revista Relix. Desde o concerto no Molson Canadian Rocks, com Fat Boy Slim, até o festival Evolve, com Medeski Martin & Wood, o grupo dividiu o palco com grandes bandas ao longo das suas excursões.
A banda, formada em outubro de 2000, em Montreal, Canadá, é liderada por Stephen Venkatarangam (guitarra, cítara, sintetizador, flauta e vocais) e conta com o apoio de vários músicos canadenses.
A Tala – palavra indiana que significa ritmo – é conhecida não só por suas arrojadas improvisações, mas também pela energia ao vivo e a considerável atenção e o detalhismo na elaboração das músicas. Os três membros da banda compartilham, democraticamente, a autoria das canções. Isso promove uma sonoridade diversificada e homogênea, pois cada integrante do grupo acrescenta suas experiências e influências próprias. "Tocar juntos instrumentos que normalmente não se misturam e fazê-los soar harmonicamente é o que melhor sabemos fazer", acrescenta Venkatarangam.
Atualmente, o grupo encontra-se promovendo seu segundo disco de estúdio, "Bleeps Sequeaks And Drones", lançado em janeiro de 2006. O primeiro CD, homônimo, de 2002, recebeu aclamação internacional em estações de rádio underground e universitárias. Para as pessoas que ainda não assistiram à banda e estão buscando um som incisivo, podem ter certeza que a Tala irá lhes entregar o que estão procurando (Sonicbids; tradução livre do inglês).

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Drivin' N' Cryin' - Songs From The Laundromat

Banda: Drivin' N' Cryin'
Disco: Songs From The Laundromat
Ano: 2012
Gênero: Roots Rock, Southern Rock, Hard Rock
Faixas:
1. Dirty (3:28)
2. Ain't Waitin' On Tomorrow (3:33)
3. REM (4:10)
4. Baloney (0:32)
5. Clean Up (3:07)
Músicas de autoria da banda, afora "Clean Up", composta por Tim Knol.
Créditos:
Kevn Kinney: Guitar, Vocals
Tim Nielsen: Bass, Backing Vocals
Dave V. Johnson: Drums, Percussion
Sadler Vaden: Guitar

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Scarred But Smarter", de 1986.

Drivin' N' Cryin' - Songs about Cars, Space and The Ramones

Banda: Drivin' N' Cryin'
Disco: Songs about Cars, Space and The Ramones
Ano: 2012
Gênero: Roots Rock, Southern Rock, Hard Rock
Faixas:
1. Hot Wheels (2:45)
2. Acceleration (3:18)
3. Johnny Rides Shotgun (3:32)
4. Moonshot (2:47)
5. Out Here In The Middle Of Nowhere (2:06)
6. Space Eyes (3:01)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Kevn Kinney: Guitar, Vocals
Tim Nielsen: Bass, Backing Vocals
Dave V. Johnson: Drums, Percussion
Sadler Vaden: Guitar
Músicos adicionais:
Cheetah Chrome: Guitar Solo & Background Vocals ("Out Here In The Middle Of Nowhere")
Takyah White: Background Vocals ("Out Here In The Middle Of Nowhere")

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Scarred But Smarter", de 1986.

Teenage Fanclub - Bandwagonesque

Banda: Teenage Fanclub
Disco: Bandwagonesque
Ano: 1991
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock
Faixas:
1. The Concept (Norman Blake) 6:07
2. Satan (Teenage Fanclub) 1:22
3. December (Gerard Love) 3:03
4. What You Do To Me (Norman Blake) 2:00
5. I Don't Know (Raymond McGinley) 4:36
6. Star Sign (Gerard Love) 4:54
7. Metal Baby (Norman Blake) 3:39
8. Pet Rock (Gerard Love) 2:35
9. Sidewinder (Gerard Love, Brendan O'Hare) 3:03
10. Alcoholiday (Norman Blake) 5:26
11. Guiding Star (Gerard Love) 2:48
12. Is This Music? (Gerard Love) 3:17
Créditos:
Norman Blake: Vocals, Guitar
Gerard Love: Vocals, Bass
Raymond McGinley: Vocals, Guitar
Brendan O'Hare: Drums
Músicos adicionais:
Joseph McAlinden: Brass & Strings
Don Fleming: Occasional Guitar & Vocals
Dave Buchanan: Handclaps

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "A Catholic Education", de 1990.

domingo, 8 de outubro de 2017

Goddo - Goddo

Banda: Goddo
Disco: Goddo
Ano: 1977
Gênero: Hard Rock
Faixas:
1. The Bus Driver Blues (4:34)
2. Drive Me Crazy (3:54)
3. Let That Lizard Loose (3:24)
4. I'm Losing You (7:06)
5. Let It Slide (5:19)
6. Twelve Days (3:22)
7. Under My Hat (4:46)
8. Hard Years (3:22)
Músicas de autoria de Greg Godovitz, menos "I'm Losing You", composta por Gino Scarpelli, Marty Morin e Greg Godovitz.
Créditos:
Greg Godovitz: Vocal, Lado Bass, Lead Guitar ("Let That Lizard Loose")
Gino Scarpelli: Stratocasters, Percussion, Bass ("Let That Lizard Loose")
Doug Inglis: Drums, Percussion, Background Voices
Participações especiais:
Michael Carpenter: Cello ("The Bus Driver Blues")
The Zombettes Choir: Choir ("The Bus Driver Blues")
Bob Segarini: Background Voice ("Drive Me Crazy")
Dana Orlando: Voice ("Drive Me Crazy")
Zorro Ideltkos: Organ ("I'm Losing You")
Geordie MacDonald: Chinese Wind Chimes ("I'm Losing You")
Collin Biggin: Baritone Saxophone ("Let It Slide")
Carlyle Miller: Tenor Saxophone ("Let It Slide")
Dwayne Ford: Rhodes Piano & Micromoog ("Under My Hat")

Biografia:
"Se é mesmo verdade que a solidão é amiga da fama, ninguém está nem aí", gracejou a Goddo em seu segundo disco, até porque "a solidão também é companheira do ostracismo", complementou a banda. O dito espirituoso poderia servir como lema da Goddo, pois, sucintamente, resume não só a carreira tumultuada desse veterano power trio de rock pesado do Canadá, mas também o humor fatalista que impregna todo o seu trabalho.
O sonho dourado da Goddo, de conquistar o mundo, nunca se realizou, o que não impediu seu relacionamento, durante longas décadas, mesmo com altos e baixos, com a indústria musical canadense. A extensa e árdua batalha da Goddo no meio musical começou em 1975, quando o baixista Greg Godovitz deixou a banda pop Fludd, de Toronto, disposto a formar um grupo de rock mais pesado, para tanto recrutando o guitarrista Gino Scarpelli (da banda de glam rock Brutus), discípulo de Jimi Hendrix, e o baterista Marty Morin, seu amigo e ex-colega de escola. Adicionando mais um d ao apelido de Godovitz, para maior clareza – muitas pessoas diziam Go-do em vez de God-o –, o trio enfrentou o estafante circuito dos bares canadenses, fazendo três shows por noite, seis dias na semana, com cansativas viagens diurnas entre as apresentações.
Um ano nesse sufoco foi demais para Morin, que virou motorista de ônibus escolar, abrindo vaga para o baterista Doug Inglis, de Ottawa, um vigoroso ritmista e também sósia perfeito de Morin, circunstância que poupou o grupo de efetuar novas fotos publicitárias. Com um confiante e azeitado lineup, a carreira da banda acelerou. O primeiro disco, homônimo (contendo "Bus Driver Blues", o adeus de Godovitz a Morin) apareceu em 1977, introduzindo o rock feijão com arroz, as baladas pungentes e as letras libidinosas do grupo. Em 1978 veio o excelente "Who Cares", produzido por Godovitz sob o pseudônimo Thomas Morley-Turner – supostamente para ludibriar os executivos da gravadora, que exigiam um produtor "consumado" –, e que se tornou o álbum capital da banda. Ambicioso para a época, "Who Cares" fundiu refrões pop, passagens de música clássica e vinhetas cômicas em canções roqueiras lascivas, como "Sweet Thing", uma ode às groupies (nota minha: palavra sem similar em português; são as fãs de grupos de rock que se enturmam com os músicos, geralmente durante as turnês), que se tornou a marca registrada da banda.
O sucesso de "Who Cares" alavancou a popularidade da Goddo. Mas, à medida que a renda e as turnês aumentavam, o consumo de drogas e a egomania cresciam na mesma proporção. Enquanto o grupo gravava seu terceiro álbum, "An Act Of Goddo", em 1979, no estúdio da Bee Gees, Godovitz teria supostamente rejeitado a colaboração de Maurice Gibb, classificando a música da Bee Gees de "lixo de discoteca". Godovitz pisou em falso ao incluir a antimúsica "Sign On The Line" – um discurso bizarro – no disco. "An Act Of Goddo" despertou pouco interesse, crítico e comercial, e, previsivelmente, a banda ficou sem gravadora. Houve uma breve passagem pela Attic Records, que lançou "Lighve: Best Seat In The House", em 1981, e mais tarde, no mesmo ano, o quarto disco de estúdio, "Pretty Bad Boys", cuja faixa-título rendeu à banda seu primeiro e solitário single de sucesso, além de uma indicação ao prêmio Juno, em 1982 – ironicamente, na categoria  de "Grupo Novo Mais Promissor".
Mas era tarde demais. Continuamente sem dinheiro e sempre cavando sua própria ruína, a Goddo implodiu em 1983. Scarpelli e Inglis ingressaram em outras bandas, ao passo que Godovitz tentou sem êxito desencavar uma nova versão do grupo (agora chamado Godo) com músicos diferentes. Em 1989, as tensões diminuíram e o trio reagrupou-se, na companhia do baterista original, Morin, tocando percussão. Em 1990, a Goddo lançou a coletânea de grandes sucessos, "12 Gauge Goddo: Blasts From The Past", seguida, em 1992, pelo álbum de estúdio "King Of Broken Hearts". Quando o disco naufragou, o grupo dividiu-se novamente. E, no final dos anos 90, ressurgiu mais uma vez. Em 2001, a banda emitiu seu primeiro CD em uma década, "2nd Best Seat In The House: 25th Anniversary Lighve", através do selo canadense Bullseye. Após os ataques terroristas nos Estados Unidos, ocorridos naquele ano, o grupo compôs e lançou o single "New York City's Burning", destinado a arrecadar fundos para a Cruz Vermelha (Darryl Sterdan, AllMusic; tradução livre do inglês).

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Brant Bjork - Tao Of The Devil

Músico: Brant Bjork
Disco: Tao Of The Devil
Ano: 2016
Gênero: Alternative Rock, Desert Rock, Stoner Rock
Faixas:
1. The Gree Heen (Brant Bjork) 5:40
2. Humble Pie (Bubba Dupree, Brant Bjork) 4:39
3. Stackt (Brant Bjork) 3:28
4. Luvin' (Brant Bjork) 3:51
5. Biker N° 2 (Bubba Dupree, Brant Bjork) 4:25
6. Dave's War (Brant Bjork, Dave Dinsmore) 9:21
7. Tao Of The Devil (Brant Bjork) 5:30
8. Evening Jam (Brant Bjork) 13:53
Créditos:
Brant Bjork: Guitar, Vocals
Dave Dinsmore: Bass
Bubba Dupree: Guitar
Ryan Gut: Drums

Biografia:


A biografia de Brant Bjork já foi postada aqui, juntamente com o disco "Jalamanta [Bonus Track]", de 2011.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Izabella - In The West

Banda: Izabella
Disco: In The West
Ano: 2008
Gênero: Jam Bands
Faixas:
1. The Sun And The Valley (Lehe) 2:07
2. In The West (Bus For 3 Days) (Rogers) 4:03
3. Heads Up (Lehe) 5:01
4. Inside (Phelps) 6:34
5. If We Could Do Anything (Lehe) 5:33
6. Raindrop (Rogers) 5:35
7. Float (Lehe) 5:26
8. Song Called Jah (Fylling) 4:20
9. Ganjaman (Phelps) 3:40
10. Chunky Phunk (Phelps) 7:57
11. Blues For The West (Lehe) 9:44
12. Waterbed (Rogers) 5:02
13. Highwire (Lehe) 8:43
Créditos:
Sean Lehe: Guitar, Vocals
Brian Rogers: Percussion, Guitar, Bass, Vocals
Sam Phelps: Keyboard, Synth, Vocals
Jeff Coleman: Keyboard
Murph: Bass, Guitar
Lucas Carlton: Drums, Percussion

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Dream When You Sleep", de 2007.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

All Them Witches - Our Mother Electricity [Bonus Track]

Banda: All Them Witches
Disco: Our Mother Electricity [Bonus Track]
Ano: 2012
Gênero: Hard Rock, Stoner Rock, Neo-Psychedelia
Faixas:
1. Heavy/Like A Witch (5:47)
2. The Urn (3:37)
3. Bloodhounds (3:30)
4. Guns (4:25)
5. Elk.Blood.Heart (5:52)
6. Until It Unwinds (8:33)
7. Easy (4:10)
8. Family Song For The Leaving (3:45)
9. Right Hand (5:53)
10. I Can't Even See Myself [Bonus Track] (3:11)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Ben McLeod: Guitar, Vocals
Robby Staebler: Drums, Percussion
Charles Michael Parks Jr.: Bass, Vocals, Acoustic Guitar
Allan Van Cleave: Keys

Biografia:
A All Them Witches é um quarteto bluseiro e neo-psicodélico de Nashville, Tennessee, EUA, que, assumidamente, encampou a música de épocas anteriores para construir uma sonoridade própria, desprendida, pesada e viajante. Embora seja fácil perceber suas influências – Blue Cheer, Black Sabbath, Led Zeppelin, Mountain, Dr. John (dos discos "Gris-Gris" e "Sun, Moon & Herbs") e o blues eletrificado do Delta do Mississippi de Junior Kimbrough – é mais difícil pinçá-las isoladamente, devido à específica fusão de elaboradas composições e ritmos variados.
Liderado pelo baixista Charles Michael Parks Jr., o lineup é completado pelo baterista Robby Staebler, o guitarrista Ben McLeod e o multi-instrumentista Allan Van Cleave (Fender Rhodes, órgão e outros instrumentos). Parks conheceu Staebler quando ambos trabalhavam numa "loja hippie corporativa". Staebler mostrou a Parks algumas músicas que ele havia composto e tocado com McLeod, motivando Parks a tocar com os dois. Van Cleave, colega de Staebler, também foi convidado para ingressar no grupo, surgindo assim a All Them Witches, exatamente no dia 6 de janeiro de 2012, segundo seus integrantes.
E rapidamente começaram as gravações. O disco de estreia, "Our Mother Electricity", saiu pelo selo alemão Elektrohasch (foi a primeira banda americana editada pela gravadora germânica). Depois veio o EP "Extra Pleasant", gravado com dois microfones diretamente num gravador cassete.
Com uma agenda de shows cansativa, o grupo angariou uma multidão de fãs, encorajando-os a gravar os concertos e trocar os áudios e/ou vídeos entre si. "Lightning At The Door" foi lançado discretamente pelo próprio quarteto na sua página na Bandcamp, no início de 2014, e posteriormente comercializado pela gravadora Tone Tree Music. O disco chamou a atenção da crítica internacional, mas a banda continuou excursionando sem parar. Sua reputação cresceu por conta de uma série de apresentações com os metaleiros da Windhand. A banda assinou com a New West no começo de 2015. E participou, com intenso alarde, de festivais musicais, como SXSW e Bonnaroo. Em 2015, a nova gravadora relançou "Lightning At The Door". O terceiro álbum foi gravado, no prazo de seis dias, em Pigeon Forge, no leste do Tennessee, num estúdio montado numa remota cabana, onde os membros da banda viviam e trabalhavam. "Dying Surfer Meets His Maker" saiu no final do mês de outubro de 2015 (Thom Jurek, AllMusic; tradução livre do inglês).

domingo, 1 de outubro de 2017

The Waterboys - Room to Roam (Collector's Edition)

Banda: The Waterboys
Disco: Room to Roam (Collector's Edition)
Ano: 2004(*)
Gênero: Alternative Rock, Folk Rock, Celtic Rock
Faixas:
Disc One: Original Album
1. In Search of a Rose (Mike Scott) 1:20
2. Song from the end of the World (Mike Scott) 1:59
3. A Man is in Love (Mike Scott)/Kaliope House (Dave Richardson) 3:18
4. Bigger Picture (Mike Scott, Anthony Thistlethwaite) 2:26
5. Natural Bridge Blues (Traditional; arranged by The Waterboys) 2:06
6. Something that is Gone (Mike Scott) 3:16
7. The Star and the Sea (Mike Scott) 0:26
8. A Life of Sundays (Mike Scott) 6:13
9. Islandman (Mike Scott) 2:06
10. The Raggle Taggle Gypsy (Traditional; arranged by The Waterboys) 2:58
11. How long will I Love you? (Mike Scott) 3:38
12. Upon the Wind and Waves (Steve Wickham) 0:44
13. Spring comes to Spiddal (Mike Scott) 1:24
14. The trip to Broadford (Kieran Donnellan) 1:14
15. Further up, Further in (Traditional; words by Mike Scott; arranged by The Waterboys) 5:32
16. Room to Roam (The Waterboys, George MacDonald) 2:55
17. The Kings of Kerry (Mike Scott, Sharon Shannon, Steve Wickham) 0:58
Disc Two: Additional Recordings
1. In Search of a Rose [full band] (Mike Scott) 2:29
2. My Morag (The Exile's Dream) (Mike Scott) 2:11
3. A Man is in Love (Mike Scott)/Kalliope House (Dave Richardson) [alternate] 3:20
4. The Wyndy Wyndy Road (Mike Scott) 1:53
5. Three Ships (Mike Scott) 3:22
6. Sunny Sailor Boy (Mike Scott) 3:06
7. Sponsored Pedal Pusher's Blues (Mike Scott) 2:50
8. The Wayward Wind (Mike Scott) 3:47
9. Danny Murphy/Florence (Mike Scott) 2:22
10. The Raggle Taggle Gypsy [Live at Barrowland Ballroom, Glasgow, 16 March 1989] (Traditional; arranged by The Waterboys) 4:30
11. Custer's Blues [Live at Masonic Hall, Toronto, 10 October 1989] (Mike Scott) 4:37
12. Twa Recruitin' Sergeants [Live at Barrowland Ballroom, Glasgow, 16 March 1989] (Mike Scott) 4:10
13. A Reel and a Stomp in the Kitchen (Mike Scott) 0:51
14. Down by the Sally Gardens (Mike Scott) 3:48
15. A Strathspey in the Rain at Dawn (Mike Scott) 1:23
16. A Song for the Life (Mike Scott) 3:49
17. The Kings of Kerry [outdoor] (Mike Scott) 0:27
Créditos:
Anto Thistlethwaite: Sax, Mandolin, etc.
Colin Blakey: Whistle, Flute, Hammond, Piano, etc.
Mike Scott: Vocals, Guitar, Piano, etc.
Steve Wickham: Fiddle, Hammond, Vocals ("Upon the Wind and Waves")
Noel Bridgeman: Drums, Percussion, 2nd Vocals ("A Life of Sundays")
Sharon Shannon: Accordion, Fiddle
Trevor Hutchinson: Bass, Bouzouki
Músicos adicionais:
Roddy Lorimer: Trumpet
Neil Sidwell: Trombone
Kieran Wilde: Clarinet
Barry Beckett: Piano ("Something that is Gone", "How long will I Love you?")
John "Turps" Burke: Backing Vocals
Ken Samson: Dijeridu
Seamus Begley, Eileen Begley, Diarmuid O'Suilleabhan: Backing Vocals ("Room to Roam")
(*) Disco lançado originalmente em 1990.

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Fisherman's Blues [Collectors' Edition] [Bonus Tracks]", de 2006.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...