segunda-feira, 31 de julho de 2017

Stone Axe - Stone Axe I (Deluxe Edition)

Banda: Stone Axe
Disco: Stone Axe I (Deluxe Edition)
Ano: 2011(*)
Gênero: Classic Rock, Hard Rock, Stoner Rock
Faixas:
1. Riders Of The Night (3:29)
2. My Darkest Days (3:16)
3. Black Widow (4:11)
4. Sky Is Falling (3:08)
5. There'd Be Days (4:59)
6. Skylah Rae (5:16)
7. Rhinoceros (2:29)
8. Diamonds & Fools (4:45)
9. Return Of The Worm (3:31)
10. Taking Me Home (3:26)
11. Riders Of The Night [Live] [Bonus Track] (3:51)
12. King Of Everything [Live] [Bonus Track] (4:24)
13. Ain't Gonna Miss It [Live] [Bonus Track] (4:39)
14. There'd Be Days [Live] [Bonus Track] (5:08)
15. Taking Me Home [Live] [Bonus Track] (3:19)
16. Skylah Rae [Live] [Bonus Track] (5:21)
17. Sky Is Falling [Live] [Bonus Track] (2:38)
18. Diamonds & Fools [Live] [Bonus Track] (4:56)
Músicas de autoria de Dru Brinkerhoff e Tony Reed.
Créditos:
Dru Brinkerhoff: Vocals
Tony Reed (aka T. Dallas Reed): All Instruments (faixas 1-10), Guitar & Vocals (faixas 11-18)
Mike DuPont: Bass (faixas 11-18)
Mykey Haslip: Drums (faixas 11-18)

Biografia:
Nascida em 2007, em Port Orchard, Washington, DC, EUA, por iniciativa do multi-instrumentista T. Dallas Reed (Mos Generator), sua existência teve um propósito definido: a preservação do rock setentista.
Pense em Free, em Thin Lizzy, nos dias gloriosos do power trio. Os primeiros movimentos de Judas Priest, Ozzy Osbourne, Iron Maiden, Foghat e AC/DC. Reed reproduz esses sons vitais com uma vibração diferente da atual safra de bandas revivalistas. Não se trata de moda. Trata-se do espírito do rock and roll, o espírito da criação.
A Stone Axe executa rock and rock clássico, apaixonadamente colhido e vitalmente desenvolvido. Você pode ouvi-lo na guitarra de Reed ou nos vocais elegantes do cantor Dru Brinkerhoff. Não há ironia em nada do que a banda faz. Ela não pisca o olho e chama a atenção para dizer: "É isso aí, curta isto, mas não leve muito a sério". Ela encara as coisas com seriedade. O tempo todo.
Em seu curto tempo de vida, a Stone Axe lançou dois discos longos, homônimos, além de splits, singles e EPs, à disposição de você, através das gravadoras Music Abuse Records (selo do grupo), Roadburn Records, Ripple Music, Hydro-Phonic e RxEvolution Recordings. Reed controla as gravações pessoalmente e está sempre compondo, por isso não espere vê-lo, ou mesmo a banda, desacelerando.
O empenho não é para inovar e sim para celebrar. Quando você escuta a Stone Axe, você ouve trechos que remetem àqueles ícones roqueiros e você se alegra. Se sorrir, melhor ainda. Significa que você sacou o lance. A Stone Axe não está a fim de reinventar a roda, está a fim de mantê-lo ligado num mundo em permanente tensão (JJ Koczan/The Obelisk, Reverbnation; tradução livre do inglês).

sábado, 29 de julho de 2017

The Nomads - Sonically Speaking [Bonus Tracks]

Banda: The Nomads
Disco: Sonically Speaking [Bonus Tracks]
Ano: 2006(*)
Gênero: Alternative Rock, Garage Rock, Punk Rock
Faixas:
1. Can't Keep My Mind Off You (Frölund, Vahlberg, Östlund, Ahlén) 2:47
2. Primordial Ooze (Fröberg, Vahlberg, Östlund, Ericson, Ahlén) 3:11
3. Smooth (Steve Wynn) 2:57
4. A Certain Girl (Naomi Neville) 2:34
5. The Goodbye Look (Vahlberg, Östlund, Johnson) 4:54
6. Wasn't Born To Work (Frölund, Vahlberg, Östlund, Johnson) 2:48
7. Rollercoaster (Fröberg, Vahlberg, Östlund, Ericson, Farula) 3:16
8. Long Goodbye (Fröberg, Vahlberg, Östlund, Johnson) 3:51
9. Come On (Peter Hood) 2:41
10. Pair Of Deuces (Vahlberg, Ahlén) 3:53
11. Party Till I Die (Fröberg, Östlund) 2:31
12. Showing Pictures To The Blind [Single B-Side, 1991] [Bonus Track] (Ostlund) 3:49
13. I'm Branded [Single B-Side, 1991] [Bonus Track] (Link Wray) 2:03
Créditos:
Nick Vahlberg: Vocals, Guitar
Hans Östlund: Lead Guitar, Vocals, Piano, Percussion
Frank Minarik: Organ, Maracas
Björne Fröberg: Bass, Backing Vocals
J. Ericson: Drums, Cymbals, Percussion
Kent Norberg, Chips K., Stefan Björk: Backing Vocals
Hasse Granquist: Lap Steel Guitar ("Rollercoaster")
(*) CD lançado originalmente em 1991.

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com os discos "Where The Wolf Bane Blooms", de 1983, e "Temptation Pays Double", de 1984.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

The Inmates - Shot In The Dark

Banda: The Inmates
Disco: Shot In The Dark
Ano: 1980(*)
Gênero: Pub Rock, R&B, Garage Rock
Faixas:
1. Talk Talk (Sean Bonniwell) 2:04
2. Tell Me What's Wrong (Peter Staines) 2:37
3. So Much In Love (Mick Jagger, Keith Richards) 2:39
4. Stop It Baby (Robert Maxwell) 2:30
5. Waiting Game (Peter Staines) 3:03
6. Crime Don't Pay (Peter Staines) 2:45
7. Feelin' Good (Herman Parker) 3:44
8. (I Thought I Heard A) Heartbeat (Peter Staines) 3:22
9. Why When The Love Has Gone? (George Hunter) 3:06
10. Sweet Rain (Peter Staines) 3:00
11. I Can't Make Up My Mind (Peter Staines) 2:06
12. Show You My Way (Jim Russell) 2:42
13. Some Kinda Wonderful (John Ellison) 4:20
Créditos:
Bill Hurley: Vocals
Peter Gunn: Lead Guitar, Vocals
Ben Donnelly: Bass Guitar
Tony Oliver: Rhythm Guitar, Vocals
Jim Russell: Drums, Vocals
(*) CD lançado em 1998.

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "First Offence", de 1979.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

The Grandmothers - Dreams On Long Play

Banda: The Grandmothers
Disco: Dreams On Long Play
Ano: 1995
Gênero: Alternative Rock, Avant-Garde, Progressive Rock, Experimental Rock
Faixas:
1. Do It In The Name Of Love (R. St. Germain) 2:46
2. Waiting (J.C. Black, M. Harris, G. Smith, J. Hogan) 6:08
3. Walk Like A Weasel (R. St. Germain) 3:05
4. Not My Problem (L. Valdmets, R. St. Germain) 3:43
5. Trail Of Tears (J.C. Black) 9:35
6. I've Fallen And I Can't Get Up (L. Valdmets, R. St. Germain) 3:33
7. Who Did You Love (J.C. Black, D. Bailey) 3:47
8. Manila Gorilla (E. Bladezipper, R. St. Germain) 5:31
9. Who Dicked Who Over (L. Valdmets, R. St. Germain) 4:29
10. The Great White Buffalo (J.C. Black, D. Bailey) 12:51
Créditos:
Jimmy Carl Black: Drums, Indian Drums, Vocals
Linda Valdmets: Violin, Percussion, Vocals
Gerald "Eli" Smith: Woodwinds, Vocals
Ener Bladezipper: Bass, Vocals
Roland St. Germain: Guitar, Keyboards, Vocals
Thomas Ramirez: Saxophone ("Manila Gorilla")

Biografia:
Para o desavisado, a junção de nomes da Grandmothers pode sugerir tranquilidade, talvez algo como uma reunião de velhos músicos voltada para tocar em centros de recreação para idosos (nota minha: Grandmothers significa avós; daí a ilação espirituosa do texto). No entanto, não só as várias composições deste conjunto musical são bastante barulhentas e até mesmo indecentes, como também a concepção melhor resumida como "política da banda" inclui várias ações judiciais e tentativas de golpe suficientes para manter uma ditadura da América Latina ocupada por uma década.
Acima de tudo, porém, no velho mas ainda vivo coração da Grandmothers há uma conexão essencial com a música avant-garde do lendário roqueiro Frank Zappa. Em seus primeiros anos, Zappa juntou-se a uma típica banda de bar californiana chamada Soul Giants, cujo nome ele mudou depois para Mothers Of Invention, além de alterar o repertório do grupo, de R&B e doo-wop, para o desafiante e inovador rock avant-garde que o tornou famoso. Os integrantes da Grandmothers invariavelmente incluem alguns dos membros originais da Mothers Of Invention e, não raro, até mesmo músicos cuja história remonta ao Soul Giants.
Saber quem são os músicos que a integraram num determinado momento é parte da intriga da Grandmothers, embora nem sempre uma parte boa. Relativamente aos membros auxiliares que não têm uma relação direta com a Mothers Of Invention, a banda foi bem além do que Zappa conseguiu em termos de elenco internacional.
Enquanto Zappa recrutou principalmente músicos americanos, a Grandmothers teve, no seu lineup, o baixista alemão Ener Bladezipper (nota minha: por coincidência, toca no disco aqui postado) e o guitarrista italiano Sandro Oliva.
De certa forma, toda a existência da Grandmothers pode ser interpretada como uma espécie de extensão de uma disputa que ex-membros da Mothers of Invention tiveram com Zappa sobre assuntos bastante sérios da indústria musical, como os royalties e os créditos de publicação. Forçados a sair pela decisão de Zappa de desmantelar a Mothers Of Invention original, em 1970, alguns dos músicos, desejando continuar suas carreiras, foram encorajados por emocionados fãs de Zappa, que acreditavam (desnecessário dizer que para revolta do músico) que aquele primeiro grupo representou o ponto alto da carreira zappaniana, pelo menos com relação a um certo tipo de humor audacioso, quase surrealista.
A primeira versão da Grandmothers surgiu em 1980 e, naturalmente, apresentou um triunvirato que – entre outras coisas misteriosas e zappanianas – tinha sido fotografado usando vestidos para a capa do disco desdobrável de 1968, "We're Only In It For The Money". O baterista e cantor Jimmy Carl Black, o famoso índio do grupo, além do ex-camarada de exército Don Preston nos teclados e o multi-instrumentista Bunk Gardner estão certamente entre os mais versáteis e divertidos músicos que Zappa havia contratado. O próprio Zappa tornou-se objeto das sátiras da banda nos palcos, tendo ficado particularmente chateado com um boneco caricato da sua figura que a Grandmothers usava de várias formas provocativas. 
Isso desencadeou um embate judicial entre a família de Zappa e vários membros do Grandmothers. No caso da zombaria recém-mencionada, aplica-se algo que o ator Edward G. Robinson descreveu com perfeição num dos seus papéis de gangster: "criticar é fácil, difícil é ser criticado".
Outras disputas jurídicas envolviam o direito de executar e gravar composições de Zappa e, o mais importante, o uso não autorizado do atual nome da Mothers Of Invention por promotores gananciosos. Em um momento dos anos 90, a marca Zappa anulou um contrato para a gravação de um novo disco da Grandmothers para uma importante produtora, que, infelizmente, não estava interessada em trabalhar com a banda sem a permissão de uso do nome Mothers Of Invention.
Black destacou em várias entrevistas que a Grandmothers não é, estritamente falando, uma banda cover do Zappa. O grupo toca apenas o repertório da Mothers Of Invention, canções de Black e Preston, além de outras músicas apropriadas ao seu estilo das décadas de 60 e 70. Entretanto, alguns dos membros do grupo, ao longo dos anos, participaram das últimas bandas e projetos de Zappa. Black contou, em detalhes, uma história engraçada, quando alguns desses músicos jovens (sic) tentaram sequestrar uma versão da Grandmothers, com o objetivo de substituir alguns dos membros mais velhos por iniciantes.
"Eu vim para baixo tomar café no hotel e a primeira coisa que eles perguntaram", recorda Black, "foi: 'Como você se sentiria sendo o único Mother original na Grandmothers?'". Black diz que respondeu a pergunta com outra indagação: "Como vocês se sentiriam sendo pendurados pelo traseiro?".
Black, geralmente com Gardner e Preston e, noutras ocasiões, com o baixista original e vocalista falsete da Mothers Of Invention, Roy Estrada, foi responsável pelas versões mais coerentes e originais da banda, uma das quais vista em muitas cidades americanas durante uma longa turnê em 2000. A genialidade de Black, nessa parte, consistiu em envolver os europeus acima mencionados, que trouxeram para o palco uma mistura de energia juvenil com uma postura mais relaxada, muito menos tensa, para a música de Zappa.
Black tinha uma versão da banda com músicos locais baseados fora de Austin, Texas, EUA, durante sua estada lá nos anos 80, porém sua versão para a Grandmothers somente decolou realmente depois que ele se tornou um expatriado em 1992, o que lhe permitiu um acesso muito mais fácil ao público europeu.
Desde 2002, Preston firmou-se como o líder de fato da Grandmothers, trocando a base de operações da banda para Los Angeles, Califórnia, EUA, sua cidade natal, e utilizando músicos dessa área, tendo, além disso, alterado geograficamente o nome da banda para Grandmothers West. A última mudança pareceu desnecessária para Black, que perdeu interesse no projeto, dissolvendo sua versão europeia do grupo em prol de atividades com bandas como a britânica Muffin Men, cujo setlist contém muito Zappa, bem como músicas de Captain Beefheart e dos Beatles (Eugene Chadbourne, AllMusic; tradução livre do inglês).

segunda-feira, 24 de julho de 2017

The Werks - Synapse

Banda: The Werks
Disco: Synapse
Ano: 2009
Gênero: Jam Bands
Faixas:
1. Headin' South (7:59)
2. For Today (4:54)
3. Sane (6:23)
4. Plain White Toast (4:40)
5. Unfinished Business (4:21)
6. Gameplan (10:58)
7. Chandra/Find Another Way (12:19)
Músicas de autoria da banda, salvo "Headin' South" e "Plain White Toast", compostas pela banda e Chris Houser.
Créditos:
Chris Houser: Guitar & Vocals
Chuckie Love: Bass & Vocals
Rob Chafin: Drums & Vocals
Norman Dimitrouleas: Keyboards

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Dig It", de 2007.

domingo, 23 de julho de 2017

The Young Sinclairs - This Is The Young Sinclairs

Banda: The Young Sinclairs
Disco: This Is The Young Sinclairs
Ano: 2014
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock
Faixas:
1. You're Tied (3:21)
2. Mona Lisa (4:01)
3. New Day (3:01)
4. Turned Around (3:31)
5. Problems (2:31)
6. Someone Like The Hawk (1:48)
7. Just Wanted To Help (3:17)
8. Never Uneasy (2:36)
9. Orion (4:05)
10. Don't Let Me Say (We're Faster) (4:08)
11. That's All Right (3:37)
12. Between The Summer & The Fall (3:34)
13. Dead End Street (3:13)
14. All Fallen Down (4:28)
15. I Could Die (3:38)
Com exceção das faixas 1 a 5, compostas por Samuel Lunsford, não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.
Créditos (presumíveis):
Samuel Lunsford: Vocals, Multiinstruments
John Thompson: Guitar
Joe Lunsford: Drums
Kyle Harris: Bass

Biografia:


A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Feel Bad", de 2007.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Panthers - Discografia básica

Banda: Panthers
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock, Punk Revival


Disco: Are You Down??
Ano: 2002
Faixas:
1. Vandalist Committee Of Public Safety (1:58)
2. We Are All Undesireables (2:11)
3. A Panther Is A Motherfucker (2:18)
4. Are You Down? (2:38)
5. Sex Ed. (3:35)
6. Up Against The Wall (2:34)
7. Panthers! Pow! Pow! Pow! (1:52)
8. Panthers Vs. The Automoton (2;27)
9. Lies Are The New Truth (3:16)
10. Snakes In The Soundsystem (2:11)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Jeffrey Salane: Drums
Justin Chearno: Guitar
Geoff Garlock: Bass Guitar
Kip Uhlhorn: Guitar, Piano
Jayson Green: Vocals, Tambourine

Disco: Let's Get Serious
Ano: 2003
Faixas:
1. Thank Me With Your Hands (4:10)
2. It's Not The Heat It's The Humility (3:44)
3. Post-Fascist Fantasies (2:29)
4. Sexist Not Sexy (3:44)
5. Don't Be A Dick (3:17)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Justin Chearno: Guitar, Pianos, Percussion
Geoff Garlock: Bass, Percussion
Jayson Green: Words, Moog, Percussion
Jeff Salane: Drums, Percussion, Vibraphone, Backup Vocals
Kip Uhlhorn: Guitar, Organs, Piano
Músicos adicionais:
Jon Natchez: Baritone Sax (faixas 1, 2)
Ben Holmes: Trumpet (faixas 1, 2)
Anthony Barba: Tenor Sax (faixas 1, 2)
Steve Revitte: Moog (faixa 5)

Disco: Things Are Strange
Ano: 2004
Faixas:
1. Legally Tender (4:01)
2. Theory Is Famous (3:38)
3. We Are Louder (7:09)
4. Stroke My Genius (4:34)
5. If You Were Once Young, Rage (7:55)
6. Walk Of Shame (7:10)
7. Thanks For The Simulacra (4:08)
8. My Commodoties Have Been Fetishized (4:24)
9. Weird Birds (7:14)
Músicas de autoria da banda.
Jayson Green: Vocals
Geoff Garlock: Bass
Jeff Salane: Drums
Kip Uhlhorn: Guitar, Keyboards
Justin Chearno: Guitar
Músicos adicionais:
Gerhardt Fuchs: Percussion, Secondary Drums
Simon Wojan: Piano, Organ, Trumpet, Mellotron

Disco: The Trick
Ano: 2007
Faixas:
1. Goblin City (3:01)
2. Listen To Me (3:53)
3. The Trick (3:19)
4. Long Time Coming (2:42)
5. Panther Moderns (3:52)
6. Uncertainly (1:48)
7. Our Side (4:15)
8. Revelations (3:16)
9. Hey Creep (2:46)
10. The Impeccableness (3:47)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Justin Chearno: Guitar
Geoff Garlock: Bass
Jayson Green: Vocals
Jeff Salane: Drums
Músicos adicionais:
Steve Moore: Hammond B-3
Josh Anzano: Guitar
Gerhardt Fuchs: Percussion


Biografia:
Concebida no Brooklyn, Nova Iorque, NY, EUA, em setembro de 2000, a Panthers era um quinteto em que cada um dos seus membros carregava um currículo ilustre. Jayson Green, Geoff Garlock e Jeff Salane pertenceram à banda hardcore Orchid; Kip Uhlhorn tocou na Red Scare e Justin Chearno ganhou crédito no álbum “Unrest”, de Isabel Bishop, e continuou a tocar na instrumental Turing Machine.
Retrato de seus trabalhos passados, a Panthers combinava estética punk e convicções políticas, exatamente como fez a Nation Of Ulysses, contratada da Dischord,  durante os anos 80 e início dos 90. Suas letras mostravam-se igualmente retóricas, inflamadas e subversivas.
No primeiro disco, “Are You Down??”, lançado pela Troubleman Unlimited em janeiro de 2002, havia referências aos movimentos da arte avant-garde, incluindo a banda Fluxus, e o reconhecimento a pessoas como Jean Genet e Carol Queen, que estiveram na linha da frente defendendo alternativas de estilos de vida sexual.
Encaixavam-se nessa equação os suarentos shows ao vivo da Panthers, complementados com a agitação de pandeiros, palmas e ritmos dançantes. O grupo dividiu o palco com outros artistas de Nova Iorque: Black Dice, Rapture, Liars e Yeah Yeah Yeahs. Na primavera de 2002, a banda embarcou numa turnê pela costa oeste americana com a sua companheira de gravadora, Erase Errata. A Panthers ainda lançou mais dois álbuns nos anos seguintes: “Things Are Strange” surgiu em 2004, seguido de “The Trick”, em 2007. Foi nessa época que o punk politicamente engajado dos primeiros dias da banda se transformou em uma espécie de indie rock arena similar àquele executado por bandas como Wolfmother e Sword (Lisa LeeKing, AllMusic; tradução livre do inglês).

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Mopho - Discografia básica

Banda: Mopho
Gênero: Rock Brasileiro


Disco: Mopho
Ano: 2000
Faixas:
1. Nada Vai Mudar (João Paulo) 2:59
2. A Geladeira (João Paulo) 3:25
3. Não Mande Flores (João Paulo) 4:24
4. Ela Me Deu Um Beijo (João Paulo, Júnior Bocão, Leonardo Luiz, Hélio Pisca) 3:57
5. Tudo Vai Mudar (Leonardo Luiz) 2:33
6. Tão Longe (João Paulo) 2:11
7. Uma Leitura Mineral Incrível (João Paulo) 4:01
8. Eu Quero Tudo (João Paulo) 2:08
9. A Carta (João Paulo) 5:22
10. Já Não É Mais (Júnior Bocão) 2:59
11. Mosca Sobre a Cabeça (João Paulo) 2:34
12. Um Dia de Cada Vez (João Paulo) 4:50
13. Vamos Curtir Um Barato (Meu Bem) (João Paulo) 16:13
Créditos:
João Paulo: Guitarra, Voz
Hélio Pisca: Bateria
Júnior Bocão: Baixo
Leonardo Luiz: Teclados

Disco: Sine Diabolo Nullus Deus
Ano: 2004
Faixas:
1. A Música Que Fiz Para Você (João Paulo) 4:06
2. O Amor é Feito de Plástico (João Paulo) 3:14
3. Caixa de Vidro (João Paulo) 2:11
4. Tanto Barulho Por Nada (João Paulo) 3:23
5. Eu não vou chorar (João Paulo) 2:32
6. Por Um Punhado de Dólares (João Paulo) 2:23
7. Eu Segui o Brilho do Sol (Leonardo Luiz) 5:09
8. Quando Você Me Disse Adeus (João Paulo) 1:28
9. Sine Diabolo Nullus Deus (João Paulo) 2:17
10. Um Lindo Dia de Sol (João Paulo) 3:06
11. Hoje Eu Lembrei do Seu Sorriso (João Paulo) 2:17
12. Nunca Deixei de Acreditar (Leonardo Luiz) 4:15
13. Well, Well... oh Yeah! (João Paulo) 1:52
Créditos:
João Paulo: Violão, Guitarra, Teclado, Bateria, Voz, Vocais
Leonardo Luiz: Baixo, Teclado, Bateria, Pandeirola, Panela
http://freetexthost.com/qzs3n65ffa

Disco: Mopho É Um Barato [Ao Vivo]
Ano: 2006
Faixas:
1. Nada Vai Mudar (2:51)
2. Tão Longe (2:33)
3. Caixa De Vidro (1:55)
4. Por Um Punhado De Dólares (1:57)
5. Um Lindo Dia de Sol (2:42)
6. A Carta (6:08)
7. A Música Que Eu Fiz Pra Você (5:12)
8. O Amor É Feito De Plástico (2:56)
9. Mosca Sobre A Cabeça (2:51)
10. Tanto Barulho Por Nada (4:10)
11. Uma Leitura Mineral Incrível (4:25)
12. Eu Quero Tudo (2:57)
13. A Geladeira (4:56)
14. Hoje Eu Lembrei do Seu Sorriso (2:14)
15. Não Mande Flores (4:18)
16. A Carta (Bis) (6:11)
17. Nada Vai Mudar (Bis) (2:57)
Músicas de autoria de João Paulo.
Créditos:
João Paulo: Guitarra, Voz
Dinho Zampier: Teclados
Nardel Guedes: Guitarra
Sam Costa: Bateria
Mano: Baixo
Gravado ao vivo no Teatro Deodoro, em Maceió, na noite do dia 16 de maio de 2006, em um evento chamado "Teatro é o maior barato" (por causa do seu preço popular: R$2,00); então, por isso, o show ficou conhecido como "Mopho é o maior barato", e, de quebra, ainda se comemorava o aniversário de 10 anos do grupo.
http://freetexthost.com/x6a4opbozm

Disco: Vol. 3
Ano: 2011
Faixas:
1. Dani Rabiscou (Júnior Bocão) 4:20
2. Quanto vale um pensamento seu (João Paulo, Molina, Wado) 5:42
3. As Marias (Júnior Bocão) 4:27
4. Pessoas são de vidro (Hélio Pisca) 4:26
5. Prelúdio (Hélio Pisca, Júnior Bocão) 3:39
6. Você sabe muito bem (João Paulo) 4:52
7. Caleidoscópio (Júnior Bocão) 2:42
8. A malvada (Júnior Bocão, Paulinho Passos) 3:02
9. Produto Ordinário Popular (Júnior Bocão) 3:22
10. O infinito (Hélio Pisca, Júnior Bocão) 3:43
Créditos:
João Paulo: Guitarra, Violão, Voz
Hélio Pisca: Bateria
Júnior Bocão: Baixo, Voz
Dinho Zampier: Piano, Teclados, Voz
Participações especiais:
Wado: Voz ("Quanto vale um pensamento seu")
Billy Magno: Clarinete ("Prelúdio"), Piano ("Prelúdio")
Marco Túlio Souza: Violão de 12 cordas ("Caleidoscópio")
Luiz Carlini: Lap Steel ("A malvada")

Disco: Brejo
Ano: 2016
Faixas:
1. Deus Está Nu (João Paulo) 3:43
2. Tudo Acaba No Carnaval (João Paulo, Fagnes Maranhão) 3:16
3. Beija-me (Sem Você No Jogo Eu Me Fodo Todo) (João Paulo) 3:17
4. Limiar (João Paulo) 3:26
5. Cão Sem Dono (João Paulo, Fagnes Maranhão) 2:59
6. Fandango (Joguem Meu Corpo Aos Porcos) (João Paulo, Dinho Zampier, Fagnes Maranhão) 4:40
7. Não Sou De Ninguém (João Paulo) 2:59
8. Brejo (João Paulo, Dinho Zampier) 2:31
Créditos:
João Paulo: Violão, Guitarra, Voz, Guitarra Fuzz (faixa 7)
Dinho Zampier: Teclados, Farfisa (faixas 3, 5, 6), Moog (faixa 4)
Leonardo Luiz: Baixo, Piano (faixa 4), Strings (faixa 4)
Rodrigo Peixe: Bateria
Daniel Queiroz: Viola de 10 cordas (faixas 2, 3)
Marco Túlio Souza: Violão de 12 cordas (faixas 4, 7)


Biografia:
"O Mopho teve a sua estreia no mercado fonográfico em 2000 com o disco homônimo 'Mopho' lançado pelo selo paulistano Baratos Afins.
O disco de estreia levou a banda, naquela época a ilustrar as páginas dos principais jornais e publicações do Brasil, alguns veículos da imprensa chegaram a apontar o quarteto como a principal banda psicodélica do país fazendo com que o quarteto participasse dos principais festivais de música como, por exemplo: Abril pro Rock (Recife e São Paulo), Porão do Rock (Brasília), Balaio Brasil (São Paulo), Festival de Inverno De Garanhuns (Pernambuco), contabilizando ainda shows por Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis entre outras grandes cidades. O som do grupo cruzou as fronteiras do país e figurou como destaque na rádio KARXL de Berkeley (Califórnia, USA) durante muito tempo.
Em 2003 quando estavam prestes a lançar o segundo disco e após terem tocado por todo o Brasil, a banda se dissolveu. Em 2004 o Mopho lança 'Sine Diabolo Nullus Deus' (Baratos Afins) com apenas dois integrantes da formação original – João Paulo (guitarra e vocais) e Leonardo Pereira (teclados). No mesmo ano os dissidentes do grupo – Júnior Bocão (contrabaixo e vocal) e Hélio Pisca (bateria) lançam 'A Terra é nossa Casa Flutuante' (Independente) com um novo projeto, batizado de Casa Flutuante, e seguem para fixar residência em São Paulo. Em junho de 2008, após cinco anos separados, o grupo se reencontra para um show na capital paulista e ali começam a escrever um novo capítulo para essa história. João Paulo, acompanhado de Dinho Zampier (teclado) propõe a Júnior Bocão e Hélio Pisca a produção de um novo disco.
Ainda em 2008 a banda participa do festival Quebra-Mar (Macapá) e voltam a se encontrar em Alagoas em junho de 2009 ano, onde em cinco dias selecionam repertório, arranjam e iniciam as gravações do esperado terceiro álbum, o MOPHO VOLUME 3; Que conta com 10 faixas e participações especiais de Luiz Carlini, tocando lap steel guitar em 'A malvada', Wado cantando em 'Quanto vale um pensamento seu', Billy Magno tocando clarinete e piano em 'Prelúdio!' e Marco Túlio Souza, violão de 12 cordas em 'Caleidoscópio'. O disco foi masterizado pelo californiano Brendan Duffey, do Norcal Studio de São Paulo.
Com projeto gráfico assinado pelo artista visual Paulo Blob, a produção do Mopho ainda conta com a coprodução de Pedro Ivo Euzébio. O disco, que será lançado em parceria com a Pisces Records, tem previsão de lançamento para abril deste ano. O Mopho já tem 13 anos de trajetória e uma história que se divide entre altos e baixos, brigas, reencontros, uma legião de fãs espalhados por todo o país e o reconhecimento por grande parte da crítica musical atuante no Brasil. Agora mais maduros, o quarteto promete recolocar a banda em uma posição de destaque, fazendo o que mais sabem, música de qualidade e um alto teor de sofisticação em seus arranjos e canções. Arnaldo Baptista em uma entrevista ao Estado de São Paulo certa vez profetizou... O contrário de Mopho não é 'fômo', o contrário de Mopho é 'vortemo'! Um belo trocadilho que agora faz todo o sentido, pois o famoso e lendário Mopho está de volta e a todo vapor!" (myspace).

domingo, 16 de julho de 2017

Ponderosa - Discografia básica

Banda: Ponderosa
Gênero: Southern Rock, Hard Rock, Roots Rock, Neo-Psychedelia


Disco: Moonlight Revival
Ano: 2011
Faixas:
1. Old Gin Road (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash) 3:37
2. I Don't Mind (Kalen Nash) 3:59
3. Pistolier (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash) 3:41
4. Hold On You (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash, Kristofer Sampson) 4:54
5. Little Runaway (Kalen Nash) 3:47
6. Pretty People (Kalen Nash) 3:35
7. Girl I've Ever Seen (Jonathan Thomas Hall) 4:43
8. Revolution (Kalen Nash) 3:54
9. Broken Heart (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash, Kristofer Sampson) 4:29
10. Penniless (John Dance, Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash, Kristofer Sampson) 3:32
11. Devil On My Shoulder (Kalen Nash) 3:21
Créditos:
Kalen Nash: Guitar, Vocals
Kris Sampson: Guitar
John Dance: Keyboards
Jonathan Thomas Hall: Bass, Vocals
Darrend Dodd: Drums, Vocals

Disco: Pool Party
Ano: 2012
Faixas:
1. Here I Am Born (Ponderosa) 4:24
2. Black Hill Smoke (Jonathan Thomas Hall, Kristofer Sampson) 3:54
3. Navajo (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash, Kristofer Sampson) 3:37
4. Never Come Back (Kalen Nash, Kristofer Sampson) 4:41
5. Pool Party (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash) 4:18
6. Heather (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash) 3:54
7. The Nile (Ponderosa) 5:14
8. Get A Gun (Ponderosa) 4:25
9. On Your Time (Jonathan Thomas Hall, Kalen Nash) 5:29
10. Cold Hearted Man (John Dance, Kalen Nash) 3:12
Créditos:
Kalen Nash: Guitar, Keyboards, Vocals
Kristofer Sampson: Guitar
John Dance: Keyboards, Guitar, Vocals
Jonathan Thomas Hall: Bass Guitar, Vocals
Darrend Dodd: Drums
Ben Lovett: Acoustic Guitar (“On Your Time”)


Biografia:
Com uma sonoridade estradeira clássica, encharcada de uísque, a banda Ponderosa, de Atlanta, Geórgia, EUA, começou a tomar forma quando o cantor e guitarrista Kalen Nash conheceu o guitarrista Kris Sampson no estúdio de gravação Nickel & Dime, em Atlanta, onde Sampson trabalhava como engenheiro-chefe.
Os dois descobriram que possuíam afinidades musicais e começaram a tocar com músicos da região: J.T. Hall (baixo e vocais), John Dance (órgão e teclados) e Darren Dodd (bateria e vocais), criando rapidamente uma maneira rústica mas habilidosa de executar o rock sulista tradicional. Nascia a Rosa (como a banda é conhecida pelos fãs). Um EP independente, chamado “Moonlight Revival”, surgiu em 2010, mas, após uma série de arrebatadas performances, abrindo para Whigs, Shooter Jennings, Old 97's e outros artistas, e expressivas aparições nos festivais Austin City Limits e Voodoo Music, o grupo assinou com a New West Records. Trabalhando com o produtor Joe Chiccarelli, a Rosa lançou seu primeiro disco longo, também denominado “Moonlight Revival”, pela New West Records, no começo de 2011. Um ano depois, saiu “Pool Party”, com produção de Dave Fridman, mostrando a banda revertendo completamente a sua área de atuação em prol de uma temática pop psicodélica viajante (Steve Leggett, AllMusic; tradução livre do inglês).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...