sábado, 31 de maio de 2014

Stone Machine - Discografia básica

Banda: Stone Machine
Gênero: Blues Rock, Hard Rock

 
Disco: Stone Machine
Ano: 2012
Faixas:
1. Dirty Sweet (5:53)
2. Whiskey Queen (3:38)
3. Down South Mama (5:49)
4. White Horse (4:17)
5. Baby Blue (6:15)
6. Cheatin' Woman (6:07)
7. Black Cat Bone (3:40)
8. On The Run (2:57)
9. L. A. Lady (5:04)
10. West Virginia Blue (5:28)
11. Pike County Woman (4:25)
12. Queen Without A Crown [Bonus Track] (8:13)
Músicas de autoria de Dirk Blevins.
Créditos:
Dirk Blevins: Guitar, Bass
Jason Mays: Vocals, Blues Harp, Drums
Jeremy Hall: Drums
Scott Ross: Drums
Rodney Crisp: Drums
http://bit.ly/1UoZ2Jr

Notas:


Impressionante primeiro disco de estúdio dessa banda de rock retrô, oriunda das profundas florestas da Virgínia Ocidental, EUA, que apresenta um blues básico fodão, riffs pesados de guitarra, da "velha escola", e um vocal poderoso que parece saído dos anos dourados de 1970. Inclui 12 faixas do verdadeiro e autêntico hard rock bluseiro e é altamente recomendado aos admiradores de Bad Company, Free, Humble Pie, Led Zeppelin, Montrose, James Gang, Foreigner, Lynyrd Skynyrd, Badlands e Cry Of Love. O relançamento desse disco de rock guitarreiro, essencial e extraordinário, feito pela Grooveyard Records, completa-se com uma excelente faixa extra inédita, um épico de 8 minutos. Vá fundo e descubra o incrível magnetismo do rock da Stone Machine (Grooveyard Records, notas do disco, em tradução livre do inglês).

Disco: American Honey
Ano: 2012
Faixas:
1. American Honey (3:28)
2. Stone Cold (3:09)
3. Rock N' Roll Queen (4:56)
4. Long Road (3:22)
5. Better Days (5:59)
6. Corn Bread (3:42)
7. Shake That Thang (1:50)
8. Speed Demon (3:25)
9. Midnight Gypsy (3:20)
10. Bad Lovin' (3:50)
11. May You Run Forever (4:50)
12. Bye Baby Bye (6:15)
Músicas de autoria de Dirk Blevins, salvo "American Honey" e "Speed Demon", compostas por Dirk Blevins e Jason Mays.
Créditos:
Dirk Blevins: Guitar, Bass
Jason Mays: Vocals, Drums
Scott Ross: Drums
http://bit.do/b7FPY

Notas:


Magnífico segundo disco de estúdio dessa banda porreta, armada com riffs matadores, vinda da Virgínia Ocidental, EUA, trazendo os maravilhosos talentos musicais de Dirk "Riff-Master" Blevins na guitarra e Jason Mays nos poderosos e emocionantes vocais. Inclui 12 faixas de super incrível rock pesado, guitarreiro, clássico, bluseiro, sem frescura, inspirado nos anos 70, que vão, definitivamente, acabar com você (nota minha: a frase seguinte, no original, "and rock your good jam: house into the next county", não consegui traduzir nem achar algum sentido; deficiência e/ou incompetência minha, obviamente). Bastante recomendado para os fãs de Bad Company, Free, Humble Pie, Led Zeppelin, Montrose, James Gang, Foreigner, Lynyrd Skynyrd, Badlands e Cry Of Love. A Stone Machine é totalmente roqueira e entrega uma fatia real do puro e primoroso hard rock, para seu deleite, no essencial disco "American Honey" (Grooveyard Records, notas do disco, em tradução livre do inglês).

Disco: Rock Ain't Dead
Ano: 2014
Faixas:
1. Rock N' Roll Star (3:35)
2. Southern Outlaw (2:45)
3. Got It Bad (3:40)
4. Sad To Say (2:48)
5. Mr. Blues (5:40)
6. Sky's Gonna Cry (3:26)
7. Rock Ain't Dead (3:01)
8. Sugar Mama (3:45)
9. Lady Luck (5:12)
10. Black Moon Creepin' (4:34)
11. Angels And Devils (6:47)
Não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.
Créditos (prováveis):
Jason Mays: Vocals
Dirk Blevins: Lead Guitar
Jamie Hall: Bass, Backing Vocals
Jeremy Hall: Drums
Matt Parkins: Guitar
http://jar.ma/1CqFBW

Notas:


O matador terceiro disco de estúdio da excelente banda, bluseira e roqueira,  Stone Machine, da Virgínia Ocidental, EUA, apresenta 11 faixas de impressionante e dinâmico southern setentista guitarreiro, ancorado em terra firme. O grupo conta com o incrível Jason Mays nos vocais e Dirk "Riffmaster" Blevins na guitarra. Os dois irmãos musicais fazem e entregam um virtuoso set de poderoso e clássico rock-and-roll no essencial "Rock Ain't Dead". Um disco da velha escola roqueira, vigorosa peça do rock ao estilo anos 70, altamente recomendado para fãs de Bad Company, Free, Humble Pie, Cactus, Led Zeppelin, Montrose, Lynyrd Skynyrd, Foghat, James Gang, Foreigner, Whitesnake, Badlands e Cry Of Love. Realmente, O Rock Não Morreu, pessoal... ele vive e respira a chama sonora através do CD fodão lançado pela Grooveyard Records, carimbado pelo bordão da Stone Machine: roqueiro (Grooveyard Records, notas do disco, em tradução livre do inglês).

terça-feira, 27 de maio de 2014

The Tragically Hip - The Tragically Hip

Banda: The Tragically Hip
Disco: The Tragically Hip
Ano: 1987
Gênero: Alternative Rock, Roots Rock, Hard Rock
Faixas:
1. Small Town Bringdown (Gord Sinclair) 3:05
2. Last American Exit (Gord Sinclair) 3:50
3. Killing Time (Gordon Downie, Bobby Baker) 4:50
4. Evelyn (Gord Sinclair) 2:25
5. Cemetery Sideroad (Gordon Downie, Gord Sinclair) 3:15
6. I'm A Werewolf, Baby (Gordon Downie, Bobby Baker, Johnny Fay, Gord Sinclair) 3:20
7. Highway Girl (Gordon Downie, Bobby Baker) 3:28
8. All Canadian Surf Club (Gord Sinclair, Bobby Baker) 2:49
Créditos:
Bobby Baker: Guitars
Gordon Downie: Vocals
Johnny Fay: Drums
Paul Langlois: Guitar, Vocals
Gord Sinclair: Bass, Vocals
http://freetexthost.com/ud406o2c4j 

Biografia:
A biografia da banda, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).

3
Essa roqueira e politicamente correta banda canadense tornou-se extremamente popular no seu país natal, ganhando comparações com Green On Red e R.E.M. (na sua fase inicial), principalmente no exterior. O lineup é composto por Rob "Bobby" Baker (nascido em 12 de abril de 1962, em Kingston, Ontário, Canadá; guitarra), Gordon Downie (nascido em 6 de fevereiro de 1964, em Kingston, Ontário, Canadá; vocais), Johnny Fay (nascido em 30 de abril de 1966, em Kingston, Ontário, Canadá; bateria), Paul Langlois (nascido em Kingston, Ontário, Canadá; guitarra) e Gordon Sinclair (nascido em Kingston, Ontário, Canadá; baixo e vocais). Downie é um compositor competente: seu olho clínico evidencia-se em canções como "Small Town Bringdown", de 1987.

4
A Tragically Hip nasceu em 1983, quando Downie, Baker e Sinclair estudavam na Universidade de Queen, Ontário, Canadá. Assinando rapidamente com a MCA Records após uma série de explosivas apresentações ao vivo, a banda, estabelecida em Kingston, Ontário, recebeu triplo disco de platina com seu primeiro disco, "Up To Here", de 1989. O álbum também lhe propiciou o primeiro prêmio Juno (nota minha: segundo a Wikipedia, "os prêmios Juno são concedidos anualmente pela Academia Canadense de Artes e Ciências Fonográficas (Canadian Academy of Recording Arts and Sciences) para honrar a excelência de cantores e músicos canadenses") como grupo mais promissor. "Road Apples" ganhou promoção através de turnês pela Europa e Austrália. A banda abiscoitou outro prêmio Juno após o lançamento de "Fully Completely", de 1992, que também obteve múltiplos discos de platina.

9
O single dali extraído, "Locked In The Trunk Of A Car", produzido por Chris Tsangarides (Lords Of The New Church, Concrete Blonde ), chegou ao topo das paradas canadenses, pela primeira vez na história do grupo. O disco posterior, "Day For Night", de 1994, apesar de não apresentar avanço significativo na fórmula musical da banda, consolidou-a como figura de proa no rock alternativo canadense. O grupo excursionou com Neil Young e Rolling Stones, antes de soltar "Trouble At The Henhouse", melodioso de ponta a ponta.
Sucesso graúdo veio com "Phantom Power", de 1998. Depois do lançamento de "Music @ Work", a banda transferiu-se para a gravadora Zoë, subsidiária da Rounder Records, e, pelo novo selo, editou o experimental "In Violet Light", de 2002. Downie também publicou um livro de poesia e lançou álbuns individuais.

domingo, 25 de maio de 2014

Vallejo - Beautiful Life

Cover
Banda: Vallejo
Disco: Beautiful Life
Ano: 1998
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock, Latin Rock
Faixas:
1. Classico (3:54)
2. Once Again (3:26)
3. Beautiful Life (4:10)
4. 2053 (21st Century) (4:06)
5. If I Was President (3:39)
6. All In Your Head (3:26)
7. Die Trying (4:01)
8. Naive (3:46)
9. Wasting My Time (4:09)
10. Snake In The Grass (3:16)
11. Ya Me Voy (3:02)
12. Immortal (4:44)
13. Irishman Lost In Spain (1:44)
Músicas de autoria da banda, exceto "Snake In The Grass", composta pela banda, DJ Hurricane, N. Jones, Samuel Barnes e JC Olivier.
Créditos:
A.J. Vallejo: Vocals, Guitars
Alejandro Vallejo: Drums, Percussion
Omar Vallejo: Bass, Backup Vocals
Bruce Castleberry: Guitars, Bamboo Pipe
Diego Simmons: Congas, Timbales, Percussion


Biografia:

4
A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Vallejo", de 1997.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

The Refreshments - Discografia básica

Banda: The Refreshments
Gênero: Alternative Rock, Roots Rock
 

Disco: Wheelie
Ano: 1994
Faixas:
1. Banditos (4:37)
2. European Swallow (4:41)
3. Suckerpunch (4:34)
4. Don't Wanna Know (4:26)
5. Mekong (4:28)
6. Girly (4:12)
7. B.O.B.A. (3:50)
8. Down Together (4:25)
9. Psychosis (6:16)
10. Carefree (3:38)
11. Nada (6:12)
Não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.
Créditos:
Roger Meade Clyne: Lead Vocals, Rhythm Guitar
Brian David Blush: Lead Guitar
Dustin Coleman Denham: Drums, Backing Vocals
Arthur Eugene "Buddy" Edwards III: Bass
http://tinyurl.com/jg5rshd

Disco: Fizzy Fuzzy Big & Buzzy
Ano: 1996
Faixas:   
1. Blue Collar Suicide (3:35)
2. European Swallow (4:32)
3. Down Together (4:23)
4. Mekong (4:34)
5. Don't Wanna Know (4:42)
6. Girly (3:58)
7. Banditos (4:17)
8. Mexico (4:00)
9. Interstate (5:39)
10. Suckerpunch (3:39)
11. Carefree (3:41)
12. Nada (6:27)
O site AllMusic aponta Blush, Clyne, Edwards e Naffah como compositores das músicas, mas, a meu ver, a informação não parece ser verdadeira, já que Naffah entrou na banda apenas em 1996, e o álbum é praticamente uma regravação do disco anterior da banda, lançado em 1994, com a adição de duas canções ("Blue Collar Suicide" e "Interstate"), a supressão de uma ("Psychosis") e a renomeação de outra ("B.O.B.A. para "Mexico").
Créditos:
Roger Meade Clyne: Lead Vocals, Rhythm Guitar
Brian David Blush: Lead Guitars, Rhythm Guitars
Arthur Eugene "Buddy" Edwards III: Bass, Backing Vocals
Paul "P.H." Naffah: Drums, Percussion
Skip Edwards: Organ, Piano
Clif Norrell: Trumpet
http://ow.ly/4ngf6M

Disco: The Bottle & Fresh Horses
Ano: 1997
Faixas:
1. Tributary Otis (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 4:54
2. Preacher's Daughter (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 3:21
3. Wanted (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 3:34
4. Sin Nombre (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 5:28
5. Heaven Or The Highway Out Of Town (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 3:26
6. Buy American (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 4:01
7. Dolly (Blush) 3:39
8. Good Year (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 3:15
9. Fonder And Blonder (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 4:06
10. Birds Sing (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 3:17
11. Horses (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 4:20
12. Broken Record (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 3:43
13. Una Soda (Blush, Clyne, Edwards, Naffah) 4:46
Créditos:
Roger Leade Clyne: Lead Vocals, Rhythm Guitar
Brian David Blush: Lead Guitars, Rhythm Guitars
Arthur Eugene "Buddy" Edwards III: Bass, Backing Vocals
Paul "P.H." Naffah: Drums, Percussion
https://tr.im/xHpHh


Biografia:
Embora a Gin Blossoms fosse a banda mais reconhecível de Tempe, Arizona, EUA, na era pós-grunge, a Refreshments foi, talvez, a predileta da sua cidade natal. O som pop/rock alternativo do grupo deve muito ao cenário musical que se desenrolava no sudoeste da localidade, bastante influente no segundo disco da banda, "The Bottle & Fresh Horses" (nota minha: na verdade, é o terceiro, se se levar em conta o álbum independente "Wheelie", de 1994), influência que também contaminou, mais tarde, o grupo Roger Clyne & The Peacemakers, derivado da Refreshments. Curiosamente, os próprios elementos que valorizaram a Refreshments perante seu público – a origem do seu som, as letras centradas no Arizona e a utilização ocasional de um naipe de metais mariachi – impediram-na de encontrar um mercado nacional, sendo que apenas "Banditos" conseguiu fazer sucesso. A incipiente Mercury Records descontratou o grupo tão logo evidenciou-se que o segundo disco não emplacou outro sucesso como "Banditos", e a banda dissolveu-se no ano seguinte (a Mercury também sumiu em 1998, absorvida pela Island Def Jam Music Group). De qualquer maneira, o legado da Refreshments permanece pulsante no sudoeste, onde a citada Roger Clyne & The Peacemakers emergiu, desde então, como uma das grandes atrações locais.

1
O nascimento da Refreshments remonta ao ano de 1993, quando Roger Clyne (vocais e guitarra), Brian David Blush (guitarra), Arthur "Buddy" Edwards (baixo) e Dustin Denham (bateria), graduados da Universidade do Estado do Arizona, encontraram-se para uma noite de bebedeira e carteio. Formou-se então uma parceria musical, logo realinhada com a inclusão de P. H. Naffah no lugar de Denham – a associação de Naffah e Clyne se reforçaria mais tarde na Peacemakers. A banda lançou, com produção própria, seu primeiro disco, "Wheelie", em 1994, e, imediatamente, o EP "Lo, Our Much Praised Yet Not Altogether Satisfactory Lady". Os dois álbuns tiveram boa aceitação local; as 2.000 cópias iniciais de "Wheelie" esgotaram-se rapidamente. Antenada, a Mercury Records contratou a banda em 1995 e lançou, um ano após, o disco "Fizzy Fuzzy Big & Fuzzy". Impulsionado pelo hit "Banditos", cuja letra parodiava um delito praticado no México, o álbum não fez má figura. A boa sorte da Refreshments continuou em 1997: um número instrumental (que a banda executava durante passagens de som) virou música-tema do icônico programa de televisão King of the Hill.

2
O amadurecido disco subsequente da banda, "The Bottle & Fresh Horses", também surgiu em 1997, sem, porém, conseguir alçar voo além da programação das rádios locais do Arizona. Consequentemente, a banda perdeu o contrato com a Mercury e acabou extinguindo-se em 1998.
Buddy Edwards restabeleceu-se como escritor de ficção e Blush encontrou trabalho como guitarrista de várias bandas regionais. Clyne e Naffah continuaram a explorar a combinação entre a  música tradicional do sudoeste e o rock-and-roll através da Roger Clyne & The Peacemakers, um supergrupo do Arizona cuja formação já contou com membros da Gin Blossoms, Dead Hot Workshop e Gloritone (Andrew Leahey, AllMusic; tradução livre do inglês).



segunda-feira, 19 de maio de 2014

My Morning Jacket - The Tennessee Fire

Cover
Banda: My Morning Jacket
Disco: The Tennessee Fire
Ano: 1999
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock, Neo-Psychedelia
Faixas:
1. Heartbreakin Man (3:11)
2. They Ran (2:48)
3. The Bear (4:39)
4. Nashville To Kentucky (2:58)
5. Old September Blues (2:28)
6. If All Else Fails (3:58)
7. It's About Twilight Now (4:06)
8. Evelyn Is Not Real (3:04)
9. War Begun (3:06)
10. Picture Of You (3:16)
11. I Will Be There When You Die (4:42)
12. The Dark (3:22)
13. By My Car (4:04)
14. Butch Cassidy (3:55)
15. I Think I'm Going To Hell (5:06)
16. Alabama Come Clean (2:42)
Músicas de autoria de Jim James.
Créditos:
Jim James: Vocals, Guitar
Tom Blankenship (a.k.a. Two-Tone Tommy): Bass
Johnny Quaid: Guitar
J. Gleen: Drums


Biografia:
Parecida, em estilo e abordagem, com peculiares bandas de rock alternativo, tais como Mercury Rev e Flaming Lips, a My Morning Jacket, sediada em Louisville, Kentucky, EUA, empenhou-se em conciliar as críticas elogiosas com o sucesso comercial usufruído pelas duas bandas supracitadas.
Originária da zona suburbana de Louisville, os primórdios da banda remontam à época em que os primos Jim James (nome verdadeiro: James Oliges, nascido em Louisville, Kentucky, EUA; vocais e guitarra) e Johnny Quaid (guitarra) começaram a testar e burilar as músicas que James compusera até então. 1998 marcou a inclusão de Two-Tone Tommy (baixo) e J. Glenn (bateria), e o quarteto recém-estabelecido principiou a ensaiar na fazenda dos avós de Quaid.

13
A contratação pela gravadora independente Darla veio em seguida, resultando no lançamento, em 1999, do primeiro disco da banda, "The Tennessee Fire". E, imediatamente, realizou-se uma turnê internacional para divulgar o álbum. Encerrada a excursão, e enquanto a atenção do grupo voltava-se para o próximo disco, o baterista Glenn perdeu seu lugar para K.C. Gueting, e o tecladista Danny Cash incorporou-se ao lineup. O segundo disco da My Morning Jacket, "At Dawn", surgiu em 2001, com arrebatadora aclamação e crescente aceitação pelos consumidores. No mesmo período em que o quinteto iniciava uma gira pelos Estados Unidos, abrindo shows para a Guided By Voices, as baquetas trocaram de dono, indo parar nas mãos de Patrick Hallahan.


O trabalho duro da banda finalmente acabou recompensado: a poderosa gravadora ATO/RCA contratou-a. O EP "Sweatbees" apareceu no final de 2002, servido como aperitivo enquanto a banda preparava o disco "It Still Moves", sua première no novo selo. Feito o lançamento, o grupo excursionou com Arthur Lee And Love, em 2003, na turnê Forever Changes, abrindo os shows da banda sessentista. Seguiram-se outras mudanças de pessoal no início de 2004: Quaid e Cash saíram e Carl Broemel e Bo Koster os substituíram, respectivamente. A nova formação coligou-se ao veterano produtor John Leckie para gravar "Z", seu segundo disco pela etiqueta ATO/RCA (nota minha: após "Z", a banda lançou outros discos; o último, "Circuital", chegou às lojas em 2011) (The Encyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, p. 1012; tradução livre do inglês).

Tea Leaf Green - Midnight on the Reservoir

Cover
Banda: Tea Leaf Green
Disco: Midnight on the Reservoir
Ano: 2001
Gênero: Jam Bands
Faixas:
1. Reservoir (8:29)
2. Sex in the 70's (8:19)
3. Panspermic De-Evolution (7:36)
4. Sister Said (0:52)
5. I Believe (3:10)
6. Sea Monkey's (6:27)
7. Hot Dog (6:08)
8. Moonshine (3:15)
9. Papa's in the Backroom (5:56)
10. Sleepwalker (4:54)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Ben Chambers: Electric Bass, Vocals
Josh Clark: Guitar, Vocals
Trevor Garrod: Fender Rhodes, Harmonica, Hammond Organ, Synthesizer, Vocals
Scott Rager: Drums, Percussion
http://tinyurl.com/jyfwkp3

Biografia:

8
A biografia da banda já foi postada aqui, juntamente com o disco "Tea Leaf Green", de 1999.

sábado, 17 de maio de 2014

Fire In The Field - Discografia básica

Banda: Fire In The Field
Gênero: Hard Rock


Disco: Fire In The Field
Ano: 2009
Faixas:
1. Magic Man (4:01)
2. Out (3:26)
3. Soledad (4:21)
4. Goatskin (3:28)
5. Restless (4:47)
6. My Time Has Come (4:34)
7. Sweet Mother (3:31)
8. The Stomp (3:38)
Não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.
Créditos:
Jaime Bagshaw: Vocals
Mike Moore: Guitar
John Santarelli: Drums
Jeff Badolato: Bass
Músicos convidados:
Amy Santarelli: Backing Vocals
Sam Moore: Backing Vocals
Andrew Blowen: Keyboards
http://tinyurl.com/hbb4re9

Disco: Gypsy Tea Room
Ano: 2014
Faixas:
1. Piece Of My Head (3:24)
2. Days (4:10)
3. Stone Hearted Creature (6:21)
4. Blue Moonshine Thrills (2:45)
5. Suzie (4:17)
6. Skyline Train (4:38)
7. Let It Be So (6:48)
8. Ferryboat River Ride (4:16)
9. Shiver (3:08)
10. Caravan & Hawk (6:03)
11. Gypsy Tea Room (14:29)
Músicas de autoria de Mike Moore.
Créditos:
Mike Moore: Vocals, Guitar, Harmonica, Keys ("Ferryboat River Ride", "Gypsy Tea Room")
Andrew Blowen: Keys, Backing Vocals
Jeff Badolato: Bass
John Santarelli: Drums, Percussion
http://bit.ly/1TrEigM

Disco: Look So Strange [EP]
Ano: 2016
Faixas:
1. Honey Cup (3:52)
2. These Hills (4:40)
3. Most Evil (3:13)
4. Eyes (3:40)
Músicas de autoria de Mike Moore, exceto "These Hills", composta por Mike Moore e Matt Shuster.
Créditos:
Mike Moore: Vocals, Guitar
Raquel-Llera Stern: Vocals
Matt Shuster: Bass
John Santarelli: Drums
Jay Frigoletto: Keyboards
http://ow.ly/4nlu0z


Biografia:
A americana Fire In The Field, de Boston, Massachusetts, EUA, incendeia com uma paixão ungida em óleos dos velhos deuses. A banda move-se e pulsa num harmônico rock and roll psicodélico entremeado com soul festeiro. As canções que Moore (vocais e guitarra) compõe, com profundidade, giram em volta de colossais e maneiros blues, tangidos por ardentes e originais riffs de guitarra.
Alguns comparam o grupo com Band Of Gypsys, Doors, Black Crowes e Led Zeppelin; mas o último disco é um manifesto contemporâneo, um novo rock para um novo tempo.


Mike Moore (vocais, compositor, guitarra e teclados), John Santarelli (bateria), Jeff Badolato (baixo) e Andrew Blowen (teclados e vocais de apoio) dirigiram-se ao Oil Can Studios, em Rollinsford, New Hampshire, EUA, para gravar ao vivo, ao sinal da luz vermelha, embebendo-se na eclética magia adquirida através de anos trabalhando e crescendo juntos.
Mike Moore encontrou seu protagonismo como compositor, vocalista, guitarrista e líder. O seu grupo inflamou o Middle East Downstairs, em Cambridge, Massachusetts, no dia 3 de maio de 2014.


Com o álbum lançado, a banda adquiriu experiência apresentando-se em Boston: TT & The Bears, Middle East, Church Of Boston, Sally O'Briens, Bill's Bar, The Hard Rock Cafe, Oliver's, The Paradise, The Paradise Lounge. E está animada para ingressar no mercado nova-iorquino neste mês de outubro (nota minha: ignora-se quando o texto foi escrito), pois ainda não esfriou após o show em Salisbury, Carolina do Norte, EUA, em julho p.p. (Reverbnation; tradução livre do inglês).

quinta-feira, 15 de maio de 2014

The Tijuana Gigolos - Discografia básica

Banda: The Tijuana Gigolos
Gênero: Tex-Mex, Rockabilly, Southern Rock


Disco: Do Ya Wanna Go?
Ano: 2005
Faixas:
1. Blind Man Walkin' (4:06)
2. Oh Me Oh My (3:38)
3. Ice Cream Cone (3:33)
4. Le Bigga Mack (3:01)
5. Cajun Jukebox (3:56)
6. Haley's Comet (3:52)
7. 25 To Life (4:19)
8. Mas Fina (3:41)
9. The Letter (3:58)
10. Days And Days (4:21)
11. El Fuego Del Sol (5:07)
12. Knock Knock (4:30)
13. South Of The Border (4:11)
14. Jeff's Banana (Pick Your Own Damn Fruit) (3:48)
15. Do Ya Wanna Go? (3:42)
Não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.


Disco: Laid To Waste
Ano: 2007
Faixas:
1. Laid To Waste (4:04)
2. Howl At The Moon (3:59)
3. Boardertown (4:17)
4. You Better Run Boy (3:06)
5. Let It Burn (3:28)
6. 22nd Street Lullaby (3:14)
7. Rich And Famous (2:50)
8. You Say Its Wrong (3:03)
9. Addiction (3:56)
10. Dig That Shovel (3:41)
11. Devil's Hideaway (5:12)
12. Fishman (3:14)
Não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.


Disco: Shotgun
Ano: 2013
Faixas:
1. Long Way Home (4:18)
2. Avalee (2:55)
3. Whoopsie Daisy (2:04)
4. Water Keeps Rising (5:03)
5. Shotgun (5:15)
6. Driving Rain (3:40)
7. Fire (4:28)
8. Tobacco (3:23)
9. Used To Be A Young Man (3:15)
Não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.

 

Créditos:
Marty Steinhausen: Guitar, Vocals, Bass
Tony Meza: Congas, Bongos, Percussion, Vocals
Jeff Boehmer: Bass, Guitar
Tom Harvill: Organ, Piano
Dave Robel: Drums
Josh Hoyer: Saxophone


Biografia:
A banda assim se apresenta na sua página do Facebook, em tradução livre do inglês:
A Tijuana Gigolos nasceu em 2001. Engendrada por Marty Steinhausen, guitarrista solo e vocalista, a banda decolou com Dave Robel na bateria e Tony Meza na percussão e vocais. Ainda sem identidade, os ensaios da turma começaram no porão de Marty. Depois de vários encontros e consumo de incontáveis cervejas e entornadas de Patron (tequila), o nome apareceu: Tijuana Gigolos. Com a adição de Jeff Boehmer no baixo (e, ocasionalmente, também na guitarra solo), Tom Harvill nos teclados e Josh Hoyer no saxofone, a banda começou a realizar shows.


E, tocando quase que exclusivamente músicas de sua própria autoria, começou a atrair admiradores. Depois teve a oportunidade, já que se localiza na mesma cidade do lendário e nacionalmente conhecido Zoo Bar (nota minha: sediado em Lincoln, Nebraska, EUA), de compartilhar apresentações com Billy Bacon and The Forbidden Pigs, The Hacienda Brothers, The Blazers, Los Super Vatos e muitos outros artistas. O seu primeiro disco, "Do Ya' Wanna Go", saiu em maio de 2005. E, em 8 de junho de 2007, surgiu o segundo álbum, "Laid to Waste". (...).

terça-feira, 13 de maio de 2014

Major Stars - The Rock Revival

Cover
Banda: Major Stars
Disco: The Rock Revival
Ano: 1998
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock, Jam Bands, Neo-Psychedelia
Faixas:
1. Rock Revival Theme (7:16)
2. On (11:55)
3. Strange Reaction (4:19)
4. Deep End (16:46)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Wayne Rogers: Guitar, Vocals
Kate Biggar: Guitar
Tom Leonard: Bass
Dave Lynch: Drums


Biografia:
Misturando improvisação musical e tendências de jam band (nota minha: improviso e jam parecem soar redundantes... mas, enfim, é o que consta no texto original) com traços de hard rock psicodélico, a Major Stars formou-se no final dos anos 90 pela ação de vários veteranos da cena musical de Boston, Massachusetts, EUA. O cantor e guitarrista Wayne Rogers, a guitarrista Kate Biggar (também conhecida como Kate Village), o baixista Tom Leonard e o baterista Dave Lynch compunham o lineup inicial da banda, que lançou seu primeiro disco, "Rock Revival", em 1998, pela gravadora Twisted Village. Seguiu-se "Space/Time", em 1999, e o grupo passou os dois anos posteriores gravando seu terceiro álbum, "Distant Effects".

3

O disco surgiu em 2002 pelo selo Squealer Music, da Virginia, EUA; no mesmo ano, a Major Stars excursionou ao lado da Acid Mothers Temple, abrindo os shows da banda japonesa, e apresentou-se no South by Southwest Festival, em Austin, Texas, EUA. A turnê terminou em maio de 2003, e a banda, ato contínuo, levantou acampamento para Nova Iorque, NY, EUA, visando à gravação do seu quarto disco, apropriadamente intitulado "4". Entretanto, mudanças de pessoal logo assolaram o grupo. Na época do lançamento de "4" (primavera de 2005), a Major Stars tinha perdido um membro (Lynch) e ganhado outros três (o baterista Casey Keenan, o baixista Dave Dougan e a vocalista Sandra Barrett), e Tom Leonard trocara o baixo pela guitarra. O grupo seguiu em frente como um sexteto, lançando "Syntoptikon" em 2006 e "Mirror/Messenger" em 2007. Em 2010, a Major Stars editou seu sétimo disco, "Return To Form", pelo selo Drag City, seguido, em 2012, por "Decibels Of Gratitude". Embora a banda tenha excursionado sistematicamente, não editou nenhum outro trabalho durante os próximos quatro anos. "Motion Set", disco de estúdio surgido no final de 2016, com canções escritas por Rogers, teve a participação de vários vocalistas, incluindo Hayley Thompson-King, que também cantou no single "For Today", extraído do álbum (Alex Henderson, AllMusic; tradução livre do inglês).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...