quinta-feira, 26 de junho de 2014

Joanne Shaw Taylor - Songs from the Road

Cover
Músico: Joanne Shaw Taylor
Disco: Songs from the Road
Ano: 2013
Gênero: Blues, Blues Rock
Faixas:
1. Soul Station (Taylor) 5:56
2. Tied and Bound (Taylor) 6:42
3. Beautifully Broken (Taylor) 7:31
4. Watch 'em Burn (Taylor) 10:07
5. Diamonds in the Dirt (Taylor) 6:51
6. Manic Depression (Hendrix) 7:37
7. Jealousy (F. Miller) 7:10
8. Kiss the Ground Goodbye (Taylor) 7:26
9. Just Another World (Taylor) 4:24
10. Band Introductions (0:30)
11. Jump That Train (Taylor) 6:37
12. Going Home (Taylor) 5:36
Créditos:
Joanne Shaw Taylor: Vocals, Guitar
Tony DiCello: Drums
Joe Veloz: Bass
Jules Grudgings: Keyboards
Disco gravado ao vivo no The Bordeline, Londres, Inglaterra, em 12 de maio de 2013.


Biografia:
Joanne Shaw Taylor incorpora todos os elementos do blues moderno, mesmo cantando com sotaque tipicamente britânico. Dada a sua destreza extraordinária como guitarrista e vocalista, Taylor já era uma sensação no circuito de festivais de blues, tanto nos Estados Unidos quanto na Grã-Bretanha, com apenas vinte e poucos anos. Ela começou a escutar blues na adolescência, em Birmingham, Inglaterra. Ouvia os guitarristas Stevie Ray Vaughan, Albert Collins e Jimi Hendrix e sabia qual o tipo de música que desejava executar, se possível em tempo integral.


O produtor Dave Stewart (da famosa Eurythmics) falou sobre Taylor, há vários anos, quando a ouviu pela primeira vez: "Eu já toquei com todos os tipos de músicos de blues no mundo inteiro. Fiz até um filme, 'Deep Blues', para o qual viajei até o Mississippi e gravei com alguns músicos legendários do gênero, como R. L. Burnside e Jesse Mae Hemphill. No ano passado, escutei algo que nunca pensei que iria escutar: uma menina branca, britânica, tocando blues na guitarra tão profunda e apaixonadamente que arrepiou os cabelos da minha nuca!". (Taylor tinha apenas 16 anos na época). Stewart ficou tão impressionado com a musicalidade de Taylor que lhe pediu para integrar o seu supergrupo, D.U.P., que se encontrava excursionando pela Europa em 2002. Também lhe foi oferecido um contrato de gravação, mas a companhia faliu antes de contratá-la.


Sete anos mais tarde, em maio de 2009, Taylor, então com 23 anos, lançou seu formidável disco de estreia, "White Sugar", pela Ruf Records, uma gravadora alemã com escritório e forte presença em território americano. Sucedeu-se uma extensa turnê nos Estados Unidos, incluindo shows com o pianista, cantor e compositor Candye Kane. Para o seu debute em disco, Taylor conseguiu o produtor que ela mais admirava, Jim Gaines, que também produziu bons discos para seus músicos favoritos de blues: Jonny Lang, Luther Allison, Stevie Ray Vaughan e Carlos Santana. Steve Potts (bateria) e Dave Smith (baixo), veteranos músicos de estúdio de Memphis, acompanharam-na em "White Sugar".


Coisas boas prenunciam-se para esse promissor talento do blues e do blues rock, e uma passada no seu site revela uma frenética agenda de shows. Ela está claramente disposta a trabalhar na sua profissão e rodar os quilômetros necessários para formar uma base de admiradores no atual cenário musical (Richard Skelly, AllMusic; tradução livre do inglês).

Um comentário:

Musicômano disse...

A senha é melofilia, Débora.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...