quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Concrete Blonde - Concrete Blonde

Banda: Concrete Blonde
Disco: Concrete Blonde
Ano: 1986
Gênero: Alternative Rock, Punk Rock, College Rock
Faixas:
1. True (Napolitano, Makey) 3:00
2. Your Haunted Head (Napolitano) 2:49
3. Dance Along The Edge (Napolitano) 5:30
4. Still In Hollywood (Napolitano) 3:45
5. Song For Kim (She Said) (Napolitano, Makey) 4:09
6. Beware Of Darkness (Harrison) 3:45
7. Over Your Shoulder (Napolitano, Makey) 3:25
8. Little Sister (Napolitano) 3:55
9. Make Me Cry (Napolitano) 2:19
10. Cold Part Of Town (Napolitano) 3:12
11. True II [Instrumental] (Makey) 2:25
12. It'll Chew You Up And Spit You Out (Napolitano, Makey) 4:33
Créditos:
Johnette Napolitano: Vocals, Bass, Guitar
James Andrew Mankey: Guitar, Bass
Harry Rushakoff: Drums
Músico adicional:
Earle Mankey: Keyboards (faixa 3)

Biografia:
A biografia da banda, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).
Depois de passar vários anos atuando, de forma embrionária, sob a denominação Dream 6 (chegando a lançar um EP na França, através da gravadora Happy Hermit), a banda roqueira americana Concrete Blonde formou-se em 1986. Seus criadores, Jim Mankey (nome verdadeiro: James Mankey, nascido em 23 de maio de 1952, na Pensilvânia, EUA; guitarra, ex-membro fundador da Sparks) e Johnette Napolitano (nascida em 22 de setembro de 1957, em Hollywood, Los Angeles, Califórnia, EUA; baixo e vocais), foram acompanhados pelo baterista Harry Rushakoff (nascido em 17 de novembro 1959, nos Estados Unidos) para a gravação do seu primeiro disco, em 1986, pela gravadora I.R.S. Records. A sedutora mistura de energia, emoção e engenhosidade assegurou à Concrete Blonde uma reação positiva tanto da imprensa musical quanto do público mais maduro.
No disco seguinte, "Free", Napolitano entregou o baixo para o novo membro, Alan Block, dedicando-se apenas aos vocais, permanecendo, porém, como a timoneira da banda. Sua voz singular, categórica e sensível, deu à Concrete Blonde muita da sua pungência e autoridade. "Bloodletting", de 1990, mostrou-se talvez o álbum mais marcante da banda em termos de intensidade emocional, fazendo uma dissecação dolorosa de um relacionamento amargurado (Napolitano compôs todas as músicas). O disco introduziu o novo percussionista, Paul Thompson (nascido em 13 de maio de 1951, em Newcastle upon Tyne, Inglaterra, ex-Roxy Music) – a banda tinha virado novamente um trio, com Napolitano, Mankey e Thompson – e apresentou seu maior sucesso, "Joey".
Rushakoff voltou ao lineup em "Walking In London", de 1992, que incluiu o cover "It’s A Man's Man's Man's World", de James Brown, interpretado por uma voz feminina. "Mexican Moon", de 1993, revelou influências hispânicas, sequenciando o estilo roqueiro autêntico, vigoroso e sedutor da banda, que a tornou tão bem-vinda no cenário musical entre o final dos anos 80 e o começo dos anos 90.
Em 1995 Napolitano saiu para formar a Vowel Movement (ao lado de Holly Jean Vincnet) e a Pretty & Twisted (na companhia de Marc Moreland, da Wall Of Voodoo), e o resto do grupo decidiu se dispersar. Napolitano e Mankey se reuniram em 1997 para gravar "Concrete Blonde Y Los Illegals", com o grupo Los Illegals, de Los Angeles. Um reagrupamento mais duradouro ocorreu em setembro de 2001, quando Napolitano e Mankey reencontraram-se com Rushakoff para participarem de um concerto beneficente para angariar fundos em prol dos bombeiros novaiorquinos mortos no ataque terrorista de 11 de setembro. Depois disso, surgiram dois novos álbuns de estúdio, "Group Therapy", de 2002, e "Mojave", de 2004, este com o novo baterista, Gabriel Ramirez-Quezada. E então a banda dissolveu-se definitivamente.

3 comentários:

Indignaldo Silva disse...

Link

angstytimelord disse...

This band is SO AMAZING. Johnette Napolitano is a musical treasure.

Indignaldo Silva disse...

Thanks for comment, angstytimelord.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...