terça-feira, 24 de julho de 2018

The Stone Roses - The Stone Roses (20th Anniversary Edition)

Banda: The Stone Roses
Disco: The Stone Roses (20th Anniversary Edition)
Ano: 2009(*)
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock, Neo-Psychedelia
Faixas:
CD 1: LP
1. I Wanna Be Adored (4:52)
2. She Bangs The Drums (3:52)
3. Waterfall (4:41)
4. Don't Stop (5:20)
5. Bye Bye Badman (4:06)
6. Elizabeth My Dear (0:54)
7. (Song For My) Sugar Spun Sister (3:26)
8. Made Of Stone (4:15)
9. Shoot You Down (4:14)
10. This Is The One (4:59)
11. I Am The Resurrection (8:14)
CD 2: Extras
1. Elephant Stone (4:53)
2. Full Fathom Five (3:05)
3. The Hardest Thing In The World (2:44)
4. Going Down (2:49)
5. Guernica (4:24)
6. Mersey Paradise (2:48)
7. Standing Here (5:09)
8. Simone (4:27)
9. Fools Gold (9:55)
10. What The World Is Waiting For (3:52)
11. One Love [Full Length] (7:46)
12. Something's Burning [Full Length] (7:45)
13. Where Angels Play (4:16)
CD 3: Demos
1. I Wanna Be Adored (3:44)
2. She Bangs The Drums (3:49)
3. Waterfall (4:47)
4. Bye Bye Badman (4:07)
5. Sugar Spun Sister (3:31)
6. Shoot You Down (4:27)
7. This Is The One (4:02)
8. I Am The Resurrection (6:41)
9. Elephant Stone (3:16)
10. Going Down (2:41)
11. Mersey Paradise (2:49)
12. Where Angels Play (3:18)
13. Something's Burning (3:05)
14. One Love (6:23)
15. Pearl Bastard (3:42)
Músicas de autoria de John Squire e Ian Brown.
Créditos:
Reni: Drums, Backing Vocals
Gary Mounfield: Bass
John Squire: Guitar
Ian Brown: Vocals

Biografia:
A história da Stone Roses conta um caso de frustração. Sucesso da noite para o dia na Inglaterra com seu primeiro disco, a banda deixou de tocar nas pequenas casas noturnas em meados dos anos 80 para empolgar multidões em estádios no fim da década, estampando sua imagem em todas as publicações especializadas em música do Reino Unido.
O quarteto recebeu atenção também nos Estados Unidos, embora em menor escala, pelo fato de ocupar o posto de grupo mais celebrado de Manchester no extravagante cenário psicodélico da metade dos anos 80. A mistura de harmoniosas guitarras byrdsianas com a sensibilidade do pop moderno da Smiths ganhou aclamação da crítica. Em 1990, no entanto, problemas legais retardaram o crescimento da banda. Após conseguir desvencilhar-se da Silvertone, sua primeira gravadora, a Roses assinou com a americana Geffen por 4 milhões de dólares, e retornou no final de 1994 com o decepcionante "Second Coming" antes de dissolver-se pra sempre.
Ian Brown, um idealista, misto de beatnik, hippie, anarquista e roqueiro punk, reuniu-se com o pintor autodidata John Squire no início dos anos 80. Os dois formaram uma banda punk chamada Patrol, que se transformou na Stone Roses em 1985. Após um par de singles, a Roses emparceirou-se com o produtor John Leckie, que ajudou a moldar a sonoridade pop psicodélica do grupo.
O grupo ingressou no cast da Silvertone em 1988 e lançou o single "Elephant Stone", que atingiu o 8° lugar nas paradas do Reino Unido em março de 1990. Depois do lançamento do seu primeiro disco longo, homônimo (19° lugar no Reino Unido em 1989; 86° lugar nos Estados Unidos em 1990), a banda sequenciou sucessos na Grã-Bretanha: "What The World Is Waiting For/Fool's Gold" (8° lugar em 1989), "Made Of Stone" (20° lugar em 1990), "She Bangs The Drums" (34° lugar em 1990), "One Love" (4° lugar em 1990), "I Wanna Be Adored" (20° lugar em 1991), "Waterfall" (27° lugar em 1992) e "I Am The resurrection" (33° lugar em 1992).
Em 1990, os membros da Roses vandalizaram os escritórios da Revolver Records depois que a gravadora relançou material antigo do grupo sem sua permissão. O fato teve grande repercussão na imprensa britânica. No final daquele ano, a banda envolveu-se numa disputa judicial, buscando rescindir seu contrato com a Silvertone para integrar a Geffen; acabou ganhando a ação, mas, nesse meio-tempo, sua carreira estagnou. Nos dois anos seguintes, a banda gravou esporadicamente, e, mesmo assim, sem se empenhar durante as sessões, devido ao uso de drogas. Seu disco de regresso, "Second Coming" (lançado na Inglaterra no final de 1994), atendeu às expectativas sugeridas no título, despertando a atenção da mídia no Reino Unido e chegando ao 4° lugar nas paradas da Inglaterra. Não chegou a empolgar em território americano (chegou ao 49° nas paradas), se bem que até mesmo em casa a Roses já não se mostrava tão irresistível. Ademais, a incontestável arrogância do grupo em público e a chegada de novas bandas roqueiras britânicas, como a Oasis, trataram de ofuscar qualquer sedução remanescente da Roses.
A banda excursionou rapidamente nos Estados Unidos e na Inglaterra, mas, em 1996, Squire saiu, ressurgindo, no ano seguinte, encabeçando a Seahorses (nota minha: discografia da banda, aqui). O grupo ainda continuou por mais seis meses, mas dissipou-se após participar do Reading Festival, com Brown se apresentando visivelmente bêbado. O vocalista engrenou uma carreira solo, soltando um disco em 1998. Depois disso, ficou trancafiado dois meses numa prisão em Manchester, condenado por ameaçar um comissário de bordo de uma companhia aérea. Na cadeia, Brown compôs as músicas incluídas no seu segundo disco individual, "Golden Greats", de 2000 (The Rolling Stone Encyclopedia of Rock & Roll. Third Edition. Edited by Holly George-Warren and Patricia Romanoswki. New York: Fireside, 2001, pp. 947-8; tradução livre do inglês).

3 comentários:

Indignaldo Silva disse...

Link

Anônimo disse...

hello, nice upload thank you but link doesn't work.

Indignaldo Silva disse...

Copy and paste. Elementary. Direct link in comments.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...