quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Wooden Shjips - Wooden Shjips

Banda: Wooden Shjips
Disco: Wooden Shjips
Ano: 2007
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock, Neo-Psychedelia
Faixas:
1. We Ask You To Ride (4:53)
2. Losin' Time (4:18)
3. Lucy's Ride (6:10)
4. Blue Sky Bends (7:42)
5. Shine Like Suns (10:18)
Músicas de autoria da banda e Ripley Johnson.
Créditos:
Ripley Johnson: Guitar, Vocals
Omar Ahsanuddin: Drums
Dusty Jermier: Bass
Nash Whalen: Organ

Biografia:
A enigmática Wooden Shjips, de São Francisco, Califórnia, EUA, executa uma minimalista e monocórdica mistura de rock garagem com psicodelia, influenciada perceptivelmente pelo Krautrock sessentista. Os vocais da banda espalham-se sobre ondas de mínimos e pulsantes ritmos, enquanto guitarras distorcidas e órgãos estridentes costumam pular para o primeiro plano.
Quando Ripley Johnson, líder da Wooden Shjips, montou o grupo, em 2003, não lhe interessava fazer shows ou torná-lo famoso; ao contrário, sua intenção inicial era reunir um conjunto de músicos amadores visando à criação de música progressista. Na sua concepção, os inexperientes músicos dariam uma nova perspectiva à música, algo novo, quem sabe uma combinação do rock geralmente barulhento e hipnótico da Velvet Underground e o frenético entusiasmo das obscuras bandas punks garageiras do começo dos anos 60. O baixista Dusty Jermier, por exemplo, foi escalado originalmente para tocar saxofone, um instrumento que ele nunca havia manuseado antes. Outros membros da primeira formação mostravam-se tão desinteressados em apresentar-se ao vivo que a banda nem sequer se preocupava em realizar shows.
Finalmente, a Wooden Shjips cortou na própria carne e moldou um lineup mais produtivo, abrangendo Dusty Jermier (trompete e baixo), Omar Ahsanuddin (bateria), Nash Whalen (órgão) e Ripley Johnson (guitarra e vocais). O grupo sabia que o seu trabalho não era rentável, mas isso parecia não incomodar Johnson, um grande fã de discos inacessíveis e de intrincadas obras de poesia alternativa, que cresceu fascinado por livros obscuros e discos fora de catálogo descobertos por colecionadores e incensados como obras-primas. Com isso em mente, a banda começou a gravar discos propositalmente herméticos, que Johnson imaginou que estariam disponíveis em discotecas públicas, em estantes de sebos ou em bancos de parques. O primeiro LP do grupo, de 10", continha três canções: "Shrinking Moon For You", no lado A, e "Death's Not Your Friend" e "Space Clothes", uma experiência em música concretista, no lado B.
Evitando tanto uma página no MySpace quanto um site convencional, com downloads em MP3, a banda distribuiu de graça todas as 300 cópias do álbum, mesmo pagando o frete para os pedidos oriundos de outras localidades. Algumas poucas e inesperadas resenhas elogiosas, incluindo uma estampada na revista Rolling Stone, emprestaram importância ao disco e alavancaram a reputação da banda.
O single seguinte, "Dance, California/Clouds Over The Earthquake", saiu em 2006, rememorando o centenário do terremoto de 1906 em São Francisco. A Shjips vendeu cópias suficientes para equilibrar as despesas e fortalecer seu cartaz, também impulsionado pelo vídeo de "Dance, California", que apresentou diversas cenas urbanas de domínio público e garotas dançando numa festa dos anos 60 debaixo de uma luz estroboscópica.
O terceiro single em vinil (pré-disco longo), "Summer Of Love 2007", rendeu tributo a todos que trabalharam para fazer do mundo um lugar melhor para se viver – incluindo instituições como o Diggers, um coletivo anarquista de São Francisco que criou a primeira loja com produtos gratuitos e servia refeições de graça às pessoas pobres no parque Golden Gate. A renda do single reverteu para a Food Not Bombs, entidade contemporânea com área de atuação semelhante à desenvolvida pelo Diggers, e a banda comemorou o lançamento do disco abrindo uma apresentação do legendário músico psicodélico Roky Erickson. Foi o segundo show desde o seu nascimento.
A Wooden Shjips gravou seu primeiro disco longo, homônimo, entre março e maio de 2007, cujo lançamento ocorreu através de uma pequena e vanguardista gravadora, Holy Mountain, com produção de Johnson e Jermier sob os pseudônimos de Tedrick G. Rippy e Don Rifle, respectivamente.
A banda registrou o álbum no mesmo local onde ensaiava, num precário equipamento de oito canais pertencente a Jermier; um trabalho exclusivamente analógico, com baixo custo, mas sem perda da qualidade. Algumas faixas assentaram-se sobre demos gravadas por Johnson; outras, incluindo "Shine Like Suns", resultaram de improvisos registrados ao vivo em estúdio, com a bateria adicionada posteriormente, porque senão faltariam canais para a interligação dos demais instrumentos. O álbum surgiu em setembro de 2007 e rendeu à banda mais resenhas elogiosas. Pouco tempo depois, saiu outro single de 7", "Loose Lips/Start To Dreaming", desta vez pela gravadora Sub Pop.
A segunda coletânea de singles, simplesmente intitulada "Vol. 2", chegou em 2010, por intermédio da gravadora Sick Thirst, e abarcava todos os singles lançados pelos selos Sub Pop e Mexican Summer, dois singles lançados pela própria banda, contendo gravações ao vivo de uma turnê europeia, e uma faixa gravada para a revista Yeti. A Wooden Shjips parecia prestes a dar uma parada no momento em que Johnson e sua outra banda, Moon Duo, lançava seu terceiro disco, "Mazes", na primavera de 2011. Todavia, isso foi apenas uma cortina de fumaça, pois a WS excursionou em tempo integral no verão, como uma prévia do segundo disco longo, "West", lançado pela Thrill Jockey no outono. Na sequência, a banda mudou-se, com armas e bagagem, para os arredores chuvosos de Portland, Oregon, EUA. E regressou às suas origens (rock clássico cadenciado e vigoroso, aliado a texturas psicodélicas) no disco "Back To Land", de 2013 (Thom Jurek, AllMusic; tradução livre do inglês).

3 comentários:

Jayme da costa Maceió AL disse...

Som alucinógeno, ideal para para quem anda na contra-mão, ou para quem tá interno. Obrigado, Indignaldo.

Indignaldo Silva disse...

Realmente o som dos caras é meio amalucado. Mas é bacana. Valeu, Jayme.

Jayme da costa Maceió AL disse...

O bom é justamente por ser amalucado. Excelente Banda, meu amigo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...