domingo, 24 de julho de 2016

Guided By Voices - Devil Between My Toes

Banda: Guided By Voices
Disco: Devil Between My Toes
Ano: 1987(*)
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock
Faixas:
Buckeye Side
1. Old Battery (Robert Pollard) 1:46
2. Discussing Wallace Chambers (Robert Pollard) 1:48
3. Cyclops (Robert Pollard) 1:50
4. Crux (Robert Pollar, Mitch Mitchell, Jim Pollard) 2:24
5. A Portrait Destroyed By Fire (Robert Pollard, Mitch Mitchell) 5:09
6. 3 Year Old Man (Robert Pollard, Jim Pollard) 1:39
Briar Side
7. Dog's Out (Robert Pollard) 2:09
8. A Proud And Booming Industry (Robert Pollar, Mitch Mitchell, Jim Pollard) 1:03
9. Hank's Little Fingers (Robert Pollard) 2:13
10. Artboat (Robert Pollard) 2:27
11. Hey Hey, Spaceman (Robert Pollard) 2:51
12. The Tumblers (Robert Pollard) 2:39
13. Bread Alone (Robert Pollard, Jim Pollard) 1:09
14. Captain's Dead (Robert Pollard) 2:00
Créditos:
Robert Pollard: Guitar & Vocals
Mitch Mitchell: Bass
Kevin Fennell: Drums
Músicos adicionais:
Tobin Sprout: Guitar & Backing Vocals (faixa 5)
Payton Eric: Drums (faixas 5, 8, 14)
Jim Pollard: Guitar
Steve Wilbur: Guitar (faixa 11)
(*) CD lançado em 2005.

Biografia:
A Guided By Voices, de Dayton, Ohio, EUA, levou vários anos para cair nas graças do público americano admirador do rock alternativo. Embora permanentemente prolífica, na verdade sua inicial obscuridade deve-se, principalmente, a determinado material insatisfatório da época, que ficou bem aquém da grandeza artística dos discos posteriores, como "Bee Thousand", de 1994, e "Mag Earwhig!", de 1997.


A banda foi liderada desde a sua formação, em 1983, pelo professor de ensino fundamental Robert Pollard (nome verdadeiro: Robert Ellsworth Pollard Jr., nascido em 31 de outubro de 1957, em Dayton, Ohio EUA; guitarra e vocal), secundado, originalmente, por Paul Comstock (guitarra e piano), Mitch Mitchell (baixo) e Payton Eric (nome verdadeiro: Tim Erick; bateria). Sua estreia no mercado discográfico ocorreu em 1986 com o ridículo EP "Forever Since Breakfast", que poderia ser classificado como rock progressivo não fosse a bisonhice. Os quatro primeiros discos do grupo, em que Pollard esteve acompanhado por um lineup variado, que incluía os baixistas Mitchell e Greg Demos, os bateristas Eric, Kevin Fennell e Don Thrasher, os guitarristas Jim Pollard e Steve Wilbur e o compositor e multi-instrumentista Tobin Sprout (nascido em 1955, nos Estados Unidos), também não conseguiram definir uma sonoridade convincente, que, a toda evidência, era o objetivo de Pollard.


O aperfeiçoamento começou com "Propeller", de 1992, que apresentou a banda desenvolvendo um som pop enxuto, suprimindo alguns dos irritantes excessos dos álbuns anteriores. Quanto às letras, Pollard passou a comunicar-se com mais simplicidade e convicção, e "Exit Flagger" tornou-se sua primeira e genuína "canção clássica". O subsequente EP "The Grand Hour" continha "Shocker In Gloomtown", mais tarde regravada pela Breeders, admiradora da Guided By Voices. O sexto disco longo, "Vampire On Titus", gravado pelo trio central -- os Pollards e Sprout --, finalmente afastou a banda da obscuridade, atraindo fãs de Sebadoh e Pavement em torno de um consenso musical, que se tornou conhecido como "movimento lo-fi" (uma sonoridade que exigia simplicidade de execução e autenticidade emocional). Na sequência, dois EPs de 7", com nomes bastante exóticos ("Static Airplane Jive" e "Fast Japanese Spin Cycle"), precederam "Bee Thousand". Nesse disco, uma dilatada formação conseguiu a proeza de soar, simultaneamente, como uma banda americana garageira, os Beatles de 1965, a principiante Velvet Underground e a Captain Beefheart do tempo de "Trout Mask Replica", sem, porém, em nenhum momento, deixar a originalidade de lado -- uma combinação desconcertante mas esplêndida. Essa opinião sobre "Bee Thousand" reforçou-se com uma postura mais madura de Pollard como compositor, que trocou a introspecção por narrativas mais eruditas e personagens menos rebuscados.


"Crying Your Knife Away", CD duplo gravado ao vivo, saiu antes de "Box", uma compilação retrospectiva, abrangendo os seis primeiros discos da banda, lançada na carona da sua recém-adquirida popularidade. E o jornalista musical Jim Greer ingressou no grupo como seu novo baixista. "Under The Bushes, Under The Stars", um disco com 24 faixas de curtas canções pop, empurrou a banda para bem longe das suas gravações artesanais primitivas, baseado no sucesso desfrutado por uma série de singles pretéritos de 7", incluindo "Motor Away" e "My Valuable Hunting Knife" (ambos incluídos no espaçoso "Alien Lanes"). A imaginação hiperativa de Pollard e Sprout resultou em abundantes trabalhos solos em meados dos anos 90. "Mag Earwhig!" surgiu na esteira de um debate sobre o futuro da banda, com os dois principais compositores, Pollard e Sprout, rompendo a parceria (nota minha: Sprout, na ocasião, abandonou a banda). O álbum contou com Pollard e vários novos músicos, incluindo o guitarrista Doug Gillard, e provou ser tão valioso quanto qualquer disco lançado previamente pelo grupo.


O primeiro disco da banda pela gravadora TVT Records, "Do The Collapse", de 1999, aboliu a postura lo-fi, já que o produtor Ric Ocasek optou por uma sonoridade mais comercial, adequada às rádios. O álbum subsequente, "Isolation Drills", seguiu na mesma toada, recheado com algumas das letras mais pessoais de Pollard até aquele momento. A mudança para o renomado selo independente Matador Records coincidiu com o apogeu autoral de Pollard, evidenciado nos discos "Universal Truths And Cycles" (2002) e "Earthquake Glue" (2003). Lamentavelmente, Pollard anunciou que "Half-Smiles Of The Decomposed", de 2004, seria o derradeiro disco de estúdio da banda. O show de despedida aconteceu no Metro, em Chicago, no dia 31 de dezembro de 2004, com Tobin Sprout, Greg Demos e Don Thrasher, ex-membros do grupo, participando como convidados. Pollard continua lançado discos em carreira solo pela gravadora Rockathon, de sua propriedade (The Encyclopedia Of Popular Music. Compiled and edited by Colin Larkin. New York: Omnibus Press, 2007, p. 633; tradução livre do inglês).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...