terça-feira, 1 de março de 2016

The Dandy Warhols - Dandys Rule OK

Banda: The Dandy Warhols
Disco: Dandys Rule OK
Ano: 1995
Gênero: Alternative Rock, Indie Rock
Faixas:
1. Introduction By Young Tom (0:25)
2. The Dandy Warhols' T.V. Theme Song (2:50)
3. Ride (4:10)
4. Best Friend (3:29)
5. Not Your Bottle (4:00)
6. (Tony, This Song Is Called) Lou Weed (4:18)
7. Nothin' To Do (2:24)
8. The Coffee And Tea Wrecks (4:06)
9. Genius (6:09)
10. Dick (8:10)
11. Just Try (4:40)
12. Nothing (Lifestyle Of A Tortured Artist For Sale) (3:53)
13. Grunge Betty (3:30)
14. Prelude: It's A Fast Driving Rave-Up With The Dandy Warhols Sixteen Minutes (0:52)
15. It's A Fast Driving Rave-Up With The Dandy Warhols Sixteen Minutes (16:06)
16. Finale: It's A Fast Driving Rave-Up With The Dandy Warhols Sixteen Minutes (5:02)
Músicas de autoria de Courtney Taylor, salvo as faixas 14-16, compostas por Courtney Taylor e Peter Holmstrom.
Créditos:
Courtney Taylor: Guitar, Vocals
Zia McCabe: Bass, Percussion
Eric Hedford: Drums, Vocals, Synthesizers
Peter Holmstrom: Guitar
Músicos convidados:
Zedekiah Pariah: Jew's Harp ("Grunge Betty"), Lap Steel & Harmonica ("Just Try"), Mandolin ("Nothing")
Derek Ecklund: Sitar ("Dick")
Julianne Johnson: Vocals ("Just Try")
Tim Rooney: Congas ("The Coffee And Tea Wrecks")
Teddy Deane: Flute ("Lou Weed")
Tony Lash: Percussion
https://tr.im/MDgDi

Biografia:
A  biografia da banda, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).


Esse quarteto de Portland, Oregon, EUA, surgiu quando Peter Holmstrom (guitarra) pressionou o amigo Courtney Taylor (vocais e guitarra) para formar uma banda em meados de 1993. A dupla contou com a adesão do também inexperiente Eric Hedford (bateria e vocais). O quarto membro, Zia McCabe (teclados, baixo e percussão), foi convidado para completar o lineup, apesar de nunca ter tocado um instrumento. Originalmente autodenominando-se Andy Warhol's Wet Dream, a banda mudou seu nome para Dandy Warhols e logo ganhou notoriedade no circuito dos bares de Portland, ao lado da parceira e concorrente Brian Jonestown Massacre (o premiado documentário "Dig!", de Ondi Timoner, registrou a relação de amor e ódio entre os dois grupos). Enveredando pelo caminho do rock psicodélico viajante, os shows da banda situavam-se no mesmo plano astral de Pink Floyd (do começo), Syd Barrett e Hawkwind. Em 1995, a Dandy Warhols gravou "Dandys Rule OK?", através da gravadora Tim/Kerr, de Portland. Seu melancólico debute mostrava-se repleto de efeitos sonoros e apresentava tributo a Lou Reed ("(Tony, This Song Is Called) Lou Weed") e uma gozação de Andy Warhol sobre a fama, expressa num longo improviso de 16 minutos ("It's A Fast-Driving Rave Up With The Dandy Warhols").


As performances da banda ao vivo e o seu expressivo disco de estreia logo desencadearam uma disputa entre as grandes gravadoras para contratá-la. E o insolente quarteto soube tirar proveito disso, saindo para jantar com todos os executivos das corporações que o assediavam. Após assinar com a Capitol Records, a banda lançou "Come Down", em 1997. O álbum mostrou-a aprofundada no "shoegazing", assemelhando-se aos grupos Spiritualized e My Bloody Valentine, particularmente em canções como "Be-In" e "Pete International Airport", e talhada para o autêntico garage rock ("Cool As Kim Deal"). O maior destaque ficou com "Not If You Were The Last Junkie On Earth", uma canção que criticava ostensivamente o uso de heroína, mas que, ao invés de causar reflexão, soou rançosa. A música originou um vídeo, dirigido pelo famoso fotógrafo David LaChappelle.


Depois de excursionar abrindo para Teenage Fanclub e Radiohead, a Dandy Warhols retornou ao estúdio no começo de 1999. Brent De Boer substituiu Hedford no terceiro disco, o admirável "Thirteen Tales From Uban Bohemia". Maior sucesso comercial da banda, o álbum apresentou a cativante "Bohemian Like You", bem ranqueada nas rádios universitárias americanas e classificada no Top 10 do Reino Unido após figurar numa propaganda dos celulares Vodafone. Uma grande mudança de rumo ocorreu no disco seguinte, "Welcome To The Monkey House". Foram-se os espontâneos acordes de guitarra e a desorganização organizada, entrando, no seu lugar, canções pretensiosamente produzidas, teclados em excesso e um forte clima anos 80. O co-produtor Nick Rhodes, ex-tecladista da Duran Duran, usou sua influência para moldar o som do disco. Mas a banda, sabiamente, abandonou esse estilo e, em "Odditorium Or Warlords Of Mars", de 2005, voltou a pisar no seu antigo e familiarizado terreno.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...