sábado, 12 de dezembro de 2015

The Neighborhood Bullys - Discografia básica

Banda: The Neighborhood Bullys
Gênero: Garage Rock, Powerpop


Disco: What?
Ano: 2008
Faixas:
1. Let Me Be Me (2:58)
2. I'm Bored, Let's Fight (2:57)
3. Spin It (3:30)
4. Lead With Your Lips (2:05)
5. Why I Steal (2:52)
6. All The Way Down (4:08
7. Our Time Is Coming (2:44)
8. Sux 2 B U (2:21)
9. Go Back (To Drinking) (2:37)
10. Alive (3:51)
11. High On Life (2:58)
Músicas de autoria de Davey Meshell.
Créditos:
Davey Meshell: Bass Guitar, Lead Vocals
Michael Hays: Electric Guitar, Background Vocals
Joey Galvan: Drums, Background Vocals
Eugene Edwards: Electric Guitar, Background Vocals
http://tinyurl.com/jqaxvd2

Disco: The Neighborhood Bullys [CDS]
Ano: 2013
Faixas:
1. (Do You Have A) Boyfriend (3:34)
2. Fighter Not A Lover (2:13)
3. I'm Bored, Let's Fight (3:02)
Músicas de autoria de Davey Meshell.
Créditos:
Davey Meshell: Bass, Lead Vocals
Greg West: Lead Guitar
Sam Park: Rhythm Guitar
Kip Boardman: Keyboards, Vocals
Mike "Soupy" Sessa: Drums
http://tinyurl.com/z8yj3h3

Disco: Callin' All Rockers! [EP]
Ano: 2015
Faixas:
1. Cigarette Lips (D. Meshell) 2:57
2. Trouble (D. Meshell, H. Meshell, Mosely) 3:12
3. Downtown (Hayes, D. Meshell) 3:10
4. Keep The Truth (Gladders, D. Meshell) 2:07
5. The Bully Stomp (D. Meshell, Park) 1:46
Créditos:
Davey Meshell: Bass, Lead Vocals
Greg West: Lead Guitar
Zach Jones: Rhythm Guitar
Reijo Repa Kauppila: Drums
Danny McGough, Joey Galvan: Unknown Contribution
http://tinyurl.com/hypbtsm


Biografia:
Ouçam bem! A Neighborhood Bullys invadiu os bares de Los Angeles, Califórnia, EUA,  em 2006. Soltando melodias contagiantes tocadas com entusiasmada habilidade e letras irreverentes cantadas com epidêmica energia, o quarteto rapidamente conquistou público e críticos desavisados. É óbvio que a Bullys é a personificação do autêntico rock and roll, na mesma linha dos seus predecessores, incluindo Rolling Stones, Ramones e New York Dolls. Mas a banda adoça o pote com a vivacidade new wave da Knack, o ruidoso glam da Slade, o pioneiro powerpop da Raspberries, a parte metaleira da Kiss e o explosivo R&B e pub rock da Dr. Feelgood. Constatando o talento e o entusiasmo da Bullys, Mike Chapman – o lendário produtor das bandas Sweet, Suzie Quatro e Blondie – prontificou-se a captá-la em estúdio. O resultado é o poderoso e alto-astral disco de estreia, provocativamente intitulado "What?", a ser lançado no início de 2010, pela Rankoutsider Records (nota minha: o álbum saiu em 2008 no formato digital).


O eixo central da Bullys é Davey Meshell – criado no Brooklyn, Nova Iorque, NY, EUA, cantor, baixista e compositor formado em Los Angeles, Califórnia, EUA, que já tocou com estimados músicos do naipe de Shelby Lynne, Peter Case, Etta James, Bobby Womack, John Lee Hooker, Chambers Brothers, Buddy Guy e Buddy Miles. Meshell desmente seu visual yuppie de cavanhaque com a paixão e o lamento de um clássico cantor de soul. Embora ele tenha sido o foco central da banda desde o início, outros membros entraram e saíram até o lineup solidificar-se com os guitarristas Tex Mosely e Michael Hays e o baterista Mike Sessa. Mosely, originalmente da Filadélfia, EUA, começou sua carreira em Nova Iorque como membro da banda de punk rock Pure Hell, compartilhando contas e locais de ensaio com a New York Dolls. Hays, nascido no Mississippi, EUA, e crescido em Los Angeles, é um prodígio da guitarra, cujo ardor com a palheta identifica-o como um fenômeno criativo. O baterista Mike Sessa juntou-se à Bullys depois de integrar bandas notáveis como Fear, Sylvain Sylvain, Rosie Flores e BellRays. Conseguir o estelar produtor Mike Chapman para produzir o seu primeiro álbum foi uma façanha para a Bullys, mas isso aconteceu de uma forma muito simples.


De acordo com Meshell, Kim Fowley, o famoso agente musical de Los Angeles, queria empresariar a Bullys. Embora essa relação nunca se tenha consumado, Fowley deu a Meshell alguns bons conselhos. "Kim disse que a melhor maneira de começar a trabalhar com seu produtor favorito era lhe enviar uma mensagem e uma demo com suas melhores músicas", lembrou Meshell. "Ninguém supera Mike Chapman, no meu conceito, então lhe enviamos uma demo da nossa canção 'I'm Bored, Let's Fight' e ele finalmente respondeu, dizendo ter ouvido a música doze vezes seguidas. E afirmou que iria produzir nosso disco inteiramente". Isso virou um casamento ideal de artistas e produtor. "Já testamos o material em bares de Los Angeles durante meses", disse Meshell. "Mike apareceu, voando de sua casa em Connecticut, EUA, e gravamos todas as faixas básicas em três dias. Ele mixou e masterizou o material em seu estúdio caseiro, e agora o disco vai sair pela Rankoutsider".


"What?" varia desde a loucamente cativante "Spin It", passa pela pulsação sexy de "Lead With Your Lips", chega até o estrondoso pancadão de "Let Me Be Me", e culmina com o vigoroso fervor da quase gospel "Alive". E você pode dançar com o disco! Por cima do seu som explosivo, as canções da Bullys são compostas com letras cínicas porém rigorosamente honestas, preparadas e apimentadas com rimas engenhosas. Como salienta Meshell: "Não pregamos ou dizemos a ninguém o que fazer. Escrevemos sobre como as pessoas vivem, no seu dia a dia". Com uma turnê programada pela costa oeste e sudoeste dos Estados Unidos e um segundo álbum, provisoriamente intitulado "Lost And Jealous", em andamento, a Bullys está pronta para sair do âmbito regional. "Gastamos muito tempo com nós", disse Meshell. "Estamos aqui porque acreditamos no que fazemos. O que posso dizer? Nós todos amamos o barulhento rock 'n' roll". Desnecessário enfatizar: prestem atenção na Bullys! (JamBase; tradução livre do inglês).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...