domingo, 25 de janeiro de 2015

Marah - Let's Cut the Crap and Hook up Later on Tonight

Banda: Marah
Disco: Let's Cut the Crap and Hook up Later on Tonight
Ano: 1998
Gênero: Roots Rock, Alternative Country Rock
Faixas:
1. Fever (4:28)
2. Another Day at Bay (1:37)
3. Eventually Rock (1:35)
4. Formula, Cola, Dollar Draft (4:43)
5. Baby Love (1:52)
6. Phantom Eyes (2:29)
7. Rain Delay (2:38)
8. Firecracker (4:16)
9. Head On (2:51)
10. For the Price of a Song (3:00)
11. Boat (2:37)
12. Limb (9:12)
13. Punk Rock Radio (5:17)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
David Bielanko: Singing, Guitar, Banjo, Accordion, Dulcimer
Danny Metz: Bass
Serge Bielanko: Background Singing, Guitar, Banjo, Harmonica, Steel Drum
Ronnie Vance: Drums, Cymbals, Sticks
Músicos adicionais:
Paul Smith: Organ, Boogie Piano, Vocals, Background Vocals, Clapping, Guitar Solo ("Fever")
Bruce Langfeld: Lap Steel
Isaac Finkelstein: Upright Piano
Mike Hood: Trombone
Matt Cappy: Trumpet
Tony Gairo: Clarinet, Alto Sax
Lou Fuiano: Baritone Sax
Bill Frease: Tuba
Troy Haffley: Pedal Steel, Mandolin
Andrew Chalfen: Guitar, Whistle, Chimes, Xylophone
Mike Brenner: Dobro
Bill Fergusson: Mandolin
Eden Daniels: Singing
Claire Nixon: Singing
Jeff Clarke: Bagpipes
https://mega.co.nz/#!s54jGKCZ!dGMsp0sEYCCvYUW0g2laENlvoU8qysRPPHYdi6MKVqA

Biografia:
A biografia da banda, que segue, em tradução livre do inglês, foi extraída do site Oldies, que, por sua vez, cita, como fonte primária do texto, a Encyclopedia Of Popular Music, de Colin Larkin (sob licença da editora Muze).


A Marah, banda de roots rock, oriunda da Philadelphia, Pennsylvania, USA, formou-se em 1995, influenciada por bandas de rock clássico, como Rolling Stones e Credence Clearwater Revival, e também por grupos contemporâneos, tipificados por Counting Crows e Guided By Voices. Iniciando como um trio, composto por David Bielanko (vocais e guitarra), Danny Metz (baixo) e Ronnie Vance (bateria), o grupo ampliou-se, dois anos depois, com a entrada de Serge (vocalista e guitarrista), irmão de David.


No final dos anos 90, a Marah, achando-se pronta para gravar, assinou com o selo independente Black Dog e lançou, em 1998, "Let's Cut The Crap And Hook Up Later On Tonight". Alicerçando-se no country, rock-and-roll, rockabilly, gospel e soul, o quarteto construiu um dos grandes discos estreantes do ano. Logo em seguida, o rebelde roqueiro Steve Earle contratou a banda para o elenco da sua gravadora, E-Squared (através da Artemis), lançando, em 2000, o segundo disco do grupo, "Kids In Philly".


No álbum "Float Away With The Friday Night Gods", de 2002, a Marah contou com o auxílio de Owen Morris, o renomado produtor das bandas Verve e Oasis (e isso, por si só, constituiu-se numa façanha, pois Morris tem-se mostrado relutante em trabalhar com artistas norte-americanos), e também convenceu Bruce Springsteen a cantar e tocar guitarra em "Float Away", faixa de abertura do disco. A banda retornou ao formato independente na gravação do decepcionante disco "20,000 Streets Under The Sky", lançado em 2004. Seguiu-se uma série de mudanças no lineup: os irmãos Bielankos reformularam o grupo com os novos membros Kirk Henderson (baixo e teclados), Dave Peterson (bateria) e Adam Garbinski (guitarra). E assim reestruturada, a banda completou dois álbuns em 2005: "If You Didn't Laugh, You'd Cry", marcando o retorno à sonoridade divertida, e o maduro "A Christmas Kind Of Town". Christine Smith, tecladista e vocalista, ingressou no grupo posteriormente.

2 comentários:

Anônimo disse...

Love this. A continuation the E Street Band / Steve Forbert vibe, and now I listen back to it, also led the way to bands like Mumford and Sons.
Thanks
Chris

Indignaldo Silva disse...

Thanks for comment,Chris.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...