terça-feira, 5 de agosto de 2014

The Green Inspiration Band - Forward Into Beyond

Cover
Banda: The Green Inspiration Band
Disco: Forward Into Beyond
Ano: 1993(*)
Gênero: Psychedelic Rock
Faixas:
1. It's A Shame/B Green (15:41)
2. The Fantasy Of Sequence (6:40)
3. The Voice (8:32)
4. No Mystery (8:11)
5. Beyond (14:20)
6. Acid Brain/Iridian (16:12)
7. Forward (11:53)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Tim Atkinson: Bass, Guitars, Vocals
Sam Miller: Drums
Steve Griffiths: Keyboards, Vocals
Andy Hunt: Guitars, Bass, Vocals
(*) CD relançado em 2006.
http://freetexthost.com/f24lqu2ofd

Biografia:
A biografia da banda, que segue, traduzida livremente do inglês, foi extraída do seu site.
A verdade é mais estranha que a ficção...
A Green Inspiration Band foi formada no verão de 1992 por Sam Miller e Andy Hunt, que haviam tocado juntos na premiada banda Electric Druids, de Swansea (nota minha: cidade do País de Gales), e decidiram fazer algo um pouco mais "sério". Eles juntaram-se a Steve Griffiths, um veterano do cenário musical de Swansea e membro da Right Honourables e da banda psicodélica de reggae Ashaman, e Tim Atkinson, também integrante da Ashaman e que igualmente já havia tocado com Andy Junt numa banda chamada Attitude Problem.

3
O nome da banda foi cunhado por Steve numa sessão particularmente pesada, e posteriormente adotado não só em razão da preferência do grupo por remédios herbários, mas também por conta de algumas filosofias ambientais renovadoras, incentivadas e expostas no som da Green Inspiration.
Nos arredores empolgantes da península de Gower e nos parques e baías ao redor de Swansea, a banda ensaiou e meditou, escreveu e gravou as músicas que se inserem até hoje dentre as melhores do rock psicodélico underground de todos os tempos (nota minha: é bom lembrar que se trata de uma autobiografia...). Com influências que se estendem desde Led Zeppelin e Hawkwind até Slayer e Ozric Tentacles, a banda surpreendeu a todos, inclusive a si mesmo, na ocasião, e dentro de um espaço muito curto de tempo se tornou uma espécie de fenômeno em Swansea, atraindo um grupo pequeno, mas fiel, de admiradores, que fizeram parte da história da banda e dos seus integrantes.

TGIB
Foi um momento único e turbulento para todos os interessados; as lembranças das ruas de Swansea, dos parques, das casas, dos pubs e dos bares permaneceram irrevogáveis na mente de cada pessoa que participou dos acontecimentos. Mas a história continua, e tudo o que ocorreu ainda permanece vivo hoje, como foi no passado e será no futuro.
A banda tocou em lugares tão distantes como o George Robey, em Finsbury Park, Londres - casa de muitas noites de famosos, como o agora lendário "Megadog" - e pirou as pessoas em cada show, com clássicos como "Acid Brain" (tocada muitas vezes com dois bateristas - ambos chamados Sam) e "Forward" (descrita por um ouvinte como "melhor do que 'Stairway To Heaven'"). Destaque para a apresentação do grupo no salão principal da University College de Swansea, com vista para a deslumbrante baía da cidade através de uma enorme parede de vidro. A banda quase queimou totalmente o bar da associação dos estudantes com o fantástico fogo mágico do seu operador de efeitos especiais, Dod.

4
O grupo também entrou na competição "Battle Of The Bands", realizada em Hendrefoilan (nota minha: uma área, ou um bairro, de Swansea), para abocanhar o primeiro lugar (embora Andy e Sam já tivessem faturado o prêmio no ano anterior com a Electric Druids).
Animada com o sucesso, a banda decidiu gravar seu material e escondeu-se por um tempo no mágico Black Mountain Studios, em West Wales. Quando saiu de lá, um dos mais notáveis (ainda que relativamente desconhecido) discos de rock psicodélico pesado de todos os tempos (nota minha: não esqueçam que é uma autobiografia...), "Forward Into Beyond", tinha sido criado. O intenso êxtase e o enorme vigor das apresentações ao vivo da Green foram capturados com êxito numa fita de 16 pistas. O sonho cristalizara-se e imortalizara-se.

8
Após uma mudança na sua formação, a Green deu suporte à Magic Mushroom Band no Bulldog Bash (nota minha: um festival inglês de motociclistas), e gravou outro disco, desta vez ao vivo, "Live Pandemonia". A banda acabou dissolvendo-se, mas se você ficar na praia de Swansea e escutar as ondas do mar, é possível ainda hoje ouvir, mesmo ao longe, o trovejante som dessa vibração cósmica que foi a Green Inspiration Band.
No verão de 2009, a banda reformulou-se, passou a ensaiar com regularidade e tem feito shows, ocasionalmente, no Reino Unido.

2 comentários:

Anônimo disse...

a monster lp

thank you

Indignaldo Silva disse...

You're welcome (sorry later).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...