segunda-feira, 23 de junho de 2014

Drivin' N' Cryin' - Scarred But Smarter

Cover
Banda: Drivin' N' Cryin'
Disco: Scarred But Smarter
Ano: 1986
Gênero: Roots Rock, Southern Rock
Faixas:
1. Scarred But Smarter (2:33)
2. Keys To Me (2:04)
3. Another Scarlet Butterfly (3:02)
4. You Mean Everything (3:29)
5. Saddle On The Side Of The Road (3:22)
6. Danger Stranger (1:29)
7. Count The Flowers (2:54)
8. Gotta Move On (2:36)
9. Bring Home The Bacon (2:01)
10. Watch The Fire/To Coin A Phrase (3:59)
11. Stand Up And Fight For It (5:06)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Kevn Kinney: Guitar, Lead Vocals
Paul Lenz: Drums, Vocals
Tim Nielsen: Bass, Mandolin, Vocals
https://mega.co.nz/#!55l0WbpC!7uXlWI7t34luV6KqDsQ9ghlVS-TNFbxrpApOzaQqfTM

Biografia:
Formada em Atlanta em 1986, a Drivin' N' Cryin', banda de hard e southern rock, nunca foi bem sucedida nacionalmente, mas, em âmbito regional, reinou suprema ao longo da sua carreira. Originalmente composta pelo cantor e compositor Kevn Kinney na guitarra e vocal, Tim Nielsen no baixo e Paul Lenz na bateria, a banda lançou seu primeiro disco, o atemporal  "Scarred But Smarter", em 1986, fundindo hard rock e bluegrass, através do selo 688 Records, que cresceu junto com a boate punk homônima de Atlanta. A banda continuou com "Whisper Tames The Lions", de 1988, entrando Jeff Sullivan no lugar de Lenz. Havia grande expectativa a seu respeito na época, devido ao sucesso do R.E.M.; tudo que era southern estava pronto para se tornar a próxima atração. Mas o southern singular da Drivin' N' Cryin' acabou se descolando do resto do mundo.


Perseverando com "Mystery Road", e agora expandida com a adição de Buren Fowler, ex-guitarrista de turnês da R.E.M., a banda não alterou muito o seu estilo. Já no disco seguinte, "Fly Me Courageous" (1990), o grupo finalmente vestiu o manto do heavy metal (nota minha: a afirmação é estranhíssima; afinal de contas, o som da banda nunca chegou perto do gênero; acho que heavy metal foi empregado no texto mais no sentido de hard rock, como se comprova com a sequência da frase) e gerou um bom disco de hard rock, associado a uma extravagante trilha folk. Mas, mesmo assim, soou meio fora de moda para os padrões da música alternativa da época. A grande força da Drivin' N' Cryin' advinha da sua atuação ao vivo, e foi assim que a banda percorreu incansavelmente o sul do país, atraindo um entusiasmado público universitário. Um show da Drivin' N' Cryin' em Atlanta tinha que ser visto para constatar-se o som da multidão cantando junto com a banda e abafando totalmente a voz excepcionalmente forte de Kinney. Naquele mesmo ano, Kinney gravou o belo LP de folk acústico, "MacDougal Blues", para o selo Island.


O disco "Smoke" aportou em 1993, trazido pela Island, e selou o fim da relação da banda com a gravadora. Seguiu-se outro álbum solo ainda mais despojado de Kinney, "Down Out Law" (Mammoth), de 1994. Ele divulgou o disco viajando com Peter Buck, guitarrista da R.E.M., que produziu o seu primeiro disco, enquanto ele e a banda também preenchiam a lacuna entre o quinto e o sexto álbuns do grupo com shows acústicos por todo o sul do país.


Quando o requintado disco "Wrapped In Sky", que marcava a estréia da banda na etiqueta Geffen, chegou às prateleiras em 1996, o grupo estava quase esquecido – perdido no vazio que muitas bandas da sua geração acabaram caindo com o advento do grunge. Kinney, Nielsen e Sullivan encorparam-se com a adição de Joey Huffman, que tocou teclados em "Wrapped In Sky". Fowler deixou a banda logo em seguida, mas o grupo continuou a gravar, lançando um disco homônimo em 1997. Um trabalho ao vivo, "The Essential Live", apareceu em 1999. Logo após, em 2003, surgiu o EP "Detroit City Rock", com quatro músicas, seguido por outro disco longo de estúdio, “The Great American Bubble Factory”, de 2009.


Abraçando o imediatismo e as possibilidades temáticas do formato EP, a banda criou seu próprio selo, New Records, e começou a emitir uma série de EPs com cinco músicas, principiando com "Songs from the Laundromat", em 2012. Um segundo EP, "Songs About Cars, Space and the Ramones", também apareceu em 2012. No início de 2013 saiu o terceiro dos quatro planejados EPs, "Songs from the Psychedelic Time Clock", uma coleção de canções revivalistas, homenageando os primeiros anos do rock garagem e a psicodelia sessentista (Denise Sullivan, AllMusic; tradução livre do inglês).

8 comentários:

Anônimo disse...

SO GREAT !!!

thank you
RV

Anônimo disse...

hope for discografia
THx

Musicômano disse...

Yes, THx. One by one. Just wait. Regards!

Anônimo disse...




THANK YOU !!!!!!


Jayme da costa Maceió AL disse...

Conhecia pouco, mas baixou minha glicose, valeu Kid.

Indignaldo Silva disse...

Pior sou eu que tenho que tomar um monte de remédio para baixar a glicose... Valeu o comentário, Jayme.

Anônimo disse...

THANKS!

Indignaldo Silva disse...

You're welcome.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...